"CONTESTAR AS OPINIÕES ERRÔNEAS QUE CONTRA NÓS ESPÍRITAS SÃO APRESENTADAS; REBATER AS CALÚNIAS; APONTAR AS MENTIRAS; DESMASCARAR A HIPOCRISIA; TAL DEVE SER O AFÃ DE TODO ESPÍRITA SINCERO, CÔNSCIO DOS DEVERES QUE LHES SÃO CONFIADOS”.
comentar
publicado por evangelicosfalsosprofetas, em 09.09.10 às 16:27link do post | favorito

Pastor afirma que não vai recuar da intenção de queimar Alcorão nos EUA

Plano de atear fogo a livro sagrado provocou protestos mundo afora.
Reverendo da Flórida quer mandar 'advertência' para muçulmanos radicais.

Do G1, com agências internacionais

O pastor Terry Jones reafirmou nesta quarta-feira (8) sua intenção de queimar cerca de 200 cópias do Alcorão no sábado, para lembrar o aniversário do 11 de Setembro, mesmo depois da onda de protestos internacionais contra seu plano.

"Não estamos convencidos de que recuar é a coisa certa", disse Jones, obscuro pastor da Dove World Outreach Center, em Gainesville, no estado americano da Flórida.

Ele disse que levou em consideração as críticas do general David Petraeus, comandante-chefe dos EUA no Afeganistão, de que seu ato iria presentear os extremistas islâmicos com uma "peça de propaganda". Mas disse que não vai ser dissuadido.

O religioso afirmou que deseja que o evento de queima do Alcorão envie uma "advertência" ao que chamou de muçulmanos linha-dura, que, segundo ele, tentavam exercer influência sobre os EUA.

"A queima do Alcorão é para chamar a atenção para o fato de que algo está errado", disse.

O reverendo Terry Jones posa nesta terça-feira (7) em frente à sede da igreja em Gainesville, no estado americano da Flórida.O reverendo Terry Jones posa nesta terça-feira (7) em frente à sede da igreja em Gainesville, no estado americano da Flórida. (Foto: AP)

"Estamos enviando uma mensagem a eles de que não queremos que façam o que parecem estar fazendo na Europa", disse Jones. "Queremos que eles saibam que, se estão na América, precisam obedecer a nossa lei e constituição e não empurrar lentamente a agenda deles sobre nós."

Protestos
Além de Petraus, a Casa Branca, o Vaticano, o Irã, a União Europeia e a ONU manifestaram-se contra o protesto.

A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, classificou os planos como "vergonhosos".

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, condenou o plano da igreja, afirmando que um ato dessa natureza não pode ser apoiado "por nenhuma religião".

A chanceler alemã Angela Merkel também classificou de odioso e erro a decisão da igreja.

"Parece-me que é uma falta de respeito, é odioso e simplesmente um erro", afirmou a chefe de Governo, durante a entrega de um prêmio de liberdade de imprensa ao chargista dinamarquês Kurt Westergaard, ameaçado de morte por extremistas muçulmanos por ter feito uma caricatura de Maomé com uma bomba como turbante.

Tensões
O anúncio também ocorre perto do fim do mês sagrado do Ramadã e em meio às tensões elevadas nos EUA pela proposta de construção de um centro cultural islâmico e de uma mesquita perto do local dos ataques ao World Trade Center, em Nova York.

A queima de livros está marcada para as 18h locais (19h de Brasília).

Funcionários da prefeitura afirmaram que vão tomar providências para tentar impedir o ato.

Policiais e bombeiros teriam uma reunião para tratar do caso. Um representante da prefeitura disse que é proibido realizar um incêndio a céu aberto, e os responsáveis correm o risco de serem multados em US$ 250 e até de serem presos


comentar
publicado por evangelicosfalsosprofetas, em 05.09.10 às 06:32link do post | favorito

Está triste, pálido, cansado, cheio de problemas, sem vontade de cantar uma bela canção? O seus problemas acabaram! O pastor Valdemiro Santiago ungiu milhares de litros de água potável (deve ser potável né… se for de torneira é muita sacanagem!) e ordenou o engarrafamento delas para a salvação da humanidade!

Uai, mas como? Ora, é simples! Com apenas uma gotinha, você será salvo de todos os seus problemas! Ué… Não seria mais fácil então vender a água em “doses homeopáticas”, com um conta-gotas abençoado de brinde? Não, meu filho! Você tem que adquirir o galãozinho, cujo preço varia de R$ 100,00 a R$ 1.000,00, ou mais,  porque só assim Deus vai te ajudar!

Afinal de contas, pra que fornecer a cura dos seus males se você pode simplesmente vender?

Veja o vídeo:

 

 

Tudo com o propósito de manter a programação da igreja no ar (aí que ninguém vai comprar mesmo). Mas… se a igreja tem dinheiro para alugar um jato Citation Excel, de R$ 18,5 milhões, e comprar um helicóptero Bell Jet Ranger 206B3 avaliado R$ 1,3 milhão (que, pasmem, já pertenceu à Xuxa!  e um Agusta A109-C avaliado em R$ 5,1 milhões, porque os fiéis tem que comprar todos estes galãozinhos?

Ahh tá, já entendi…  :-)

 

Eu quero uma com gás, por favor.

Mas um gás bento (se alguém sugerir peido de pastor vai ver só).


comentar
publicado por evangelicosfalsosprofetas, em 04.09.10 às 03:32link do post | favorito

 

REPRODUZO AQUI MEU EMAIL, ENVIADO A ESTA SENHORA ALIENADA EM RELIGIÃO:

ISTO NÃO É SIMPLESMENTE ATITUDES HUMANAS E SIM ATITUDES COVARDES, DE PESSOAS NÃO ILIBADAS E DE BAIXO NIVEL MORAL E PESSOAS QUE EM VEZ DE ENGRANDECER A SUA RELIGIÃO, PREFERE ATACAR AS DOS OUTROS, CONFORME A MARIA HELENA, SUA AMIGA, O FAZ, VEJA SIMPLESMENTE O BLOG DELA 70% DELE É CRITICANDO O ESPIRITISMO.

QUANTO AO AJUSTAR CONTAS PERANTE DEUS, DEVEMOS PRESTAR CONTAS A JUSTIÇA DIVINA E TAMBÉM DEVERIAM ANTES PRESTAR CONTAS A CONSCIENCIA MORAL E CRISTÃ, COMO O CRISTO QUE NUNCA ESCREVEU NADA, PORÉM DISSE: AMAR A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS, E
AO PRÓXIMO COMO A TI MESMO, ESTA MÁXIMAS DEVERIAM TODOS SEGUIR A RISCA.

AS ATITUDES NEFASTAS DE UM SEGUIDOR OU MEMBRO DE UMA SEITA, DECORRE PRINCIPALMENTE DE QUEM O ESTA CONDUZINDO, PORQUE SÃO PESSOAS QUE NÃO TEM MORAL PARA QUESTIONAR, A ATITUDE MENOS ÉTICA DE UM PASTOR, REFLETE COM CERTEZA EM SEUS MEMBROS.

 

 

Por que tantos ataques ao Espiritismo??

Todos sabem e não é novidade que a Doutrina Espírita sempre foi muito atacada e agredida pelos mais diversos segmentos religiosos da sociedade. Desde criança sempre escutei estórias de velhos trabalhadores da Doutrina que foram rechaçados, humilhados e até ameaçados por pessoas com senso de fraternidade e respeito deturpados pelo fanatismo e cegueira religiosa.

 

Mas recentemente, para ser mais exato de uns 4 anos para cá, alguns irmãos de outros credos, principalmente esta Dona helena, estão mudando de tática, ao se verem totalmente impotentes diante do crescimento e consolidação da Doutrina dos Espíritos no Brasil e principalmente no mundo, estão agora mais organizados e dispostos a investidas cada vez mais poderosas no seu intento insano de tapar o sol com a peneira, seja por interesses econômicos, religiosos, políticos, fanatismo, ou mesmo por simples orgulho e vaidade. Os livros da codificação, antes tidos como malditos, imundos, escritos pelo demônio, etc, etc, agora estão sendo lidos e vasculhados, estudados mesmo, não por interesse filosófico ou doutrinário, mas para conhecer a Doutrina e tentar conseguir argumentos para "hostilizá-la".

 

A cada dia a mídia dá mais destaque ao Espiritismo, seja na TV, no Cinema, no Rádio, ou mesmo através de livros, revistas e edições variadas, nem todas espíritas, muitas mesmo científicas e todas de alta credibilidade. O Espiritismo encontra cada vez mais apoio da ciência e dos pesquisadores verdadeiros, desprovidos de preconceito, abertos às novas verdades, humildes na consciência que nada sabem e que a vida espiritual é uma verdade. Assim temos pesquisas no campo da EQM (Experiência de Quase Morte) realizadas pelo mundo todo que levou inclusive um pesquisador inglês a atestar a sobrevivência da consciência humana à morte, ou seja, a existência do ESPÍRITO. Pesquisas desenvolvidas pela regressão mental realizada por diversos psicólogos e psiquiatras não espíritas pelo mundo todo, comprovando a reencarnação e a memória acumulada de experiências anteriores. As pesquisas realizadas acerca da mediunidade e da comunicação com os espíritos. Só para citar três segmentos, sem falar na Transcomunicação Instrumental, entre outras.

 

Nas livrarias as edições de livros com temática espírita crescem cada vez mais, livros são traduzidos para o inglês, espanhol, esperanto, francês, russo etc, levando as idéias e a luz da Doutrina para todo o mundo. É uma verdadeira chuva de informações, depoimentos, conselhos, revelações, consolações e mensagens dos espíritos, para todo o mundo, para toda a humanidade. O Espiritismo se fortalece, pois encontra suporte na verdade, religiões como o Budismo, Hinduismo e outras, aceitam e sabem das verdades da reencarnação e da vida após a morte e assim o Espiritismo confirma e solidifica suas idéias.

 

Cada vez mais a medicina se rende a verdade da existência do mundo espiritual e as Associações de Médicos Espíritas se espalham pelo Brasil e pelo mundo, realizando congresso, discussões, pesquisas, e se unindo pela humanização e espiritualização da medicina, entendendo o ser humano não apenas como uma máquina material e biológica, mas como um conjunto formado pelos diversos componentes da matéria e do espírito.

 

Na internet, dia-a-dia aparecem novos sites sobre o Espiritismo, divulgando com força total a Doutrina, com pesados índices de acesso, numa demonstração do interesse que a Doutrina desperta em todos. Muitos, receosos e temerosos da reação de parentes e da sociedade, estudam, leem, participam, e se beneficiam das luzes da Doutrina, de dentro de seus quartos, à portas fechadas, através da rede mundial de computadores. Todos acessam e entram em contato com as verdades Espíritas cada vez com mais frequência e os pedidos de orientação e de conselhos, os desabafos e os agradecimentos, não cansam de chegar via e-mail, demonstrando que verdadeiramente o Espiritismo é a Doutrina Consoladora prometida pelo Cristo.

 

Diante deste quadro parece que o desespero levou esses irmãos a terem uma atitude de análise da Doutrina Espírita e de tudo que possa fazer parte da mesma, para atuar violentamente na campanha de difamação e destruição em que estão empenhados. Foi assim que verificamos absurdos como a própria alteração de textos bíblicos incluído neles as palavras MÉDIUM, ESPÍRITA E ESPIRITISMO, para dizer que o Espiritismo é condenado pelas escrituras sagradas, quando sabemos que essas palavras foram criadas por Kardec, portanto, vocábulos inexistentes ao tempo em que foi escrita a Bíblia. Estes argumentos, e muitos outros, cada um mais ridículo que o outro, foram todos combatidos e desmascarados por estudiosos e defensores da verdade que puseram por terra todos os argumentos "bíblicos".

 

Com a impossibilidade de manter os argumentos falsamente retirados da Bíblia passaram a investir contra a Doutrina afirmando que a mesma estava dividida e fraca, chegaram a comparar Espiritismo com Maçonaria, Ordem Rosa-cruz, Umbanda, Candomblé e outras filosofias ou doutrinas, numa demonstração de ignorância profunda e de total cegueira ou mesmo má-fé, tentando generalizar, colocar tudo "numa única panela". Infelizes que foram, tiveram seus argumentos totalmente desarmados mais uma vez e puderam assistir a Doutrina Espírita cada vez mais fortalecida.

 

Agora alguns líderes cristãos vasculham a Codificação, observam cada detalhe, estudam em grupo, procurando "pontos" e "vírgulas", na tentativa de colocar Kardec em xeque, de verificarem uma contradição que nunca encontram, fantasiando erros e apontando minúcias, comparados somente ao distraído que observa uma grande construção, como uma grandiosa torre, dia após dia, procurando um motivo para desmerecê-la, e que grita aos quatro ventos: "vejam, aquele tijolo no 25º andar está rachado, esta torre é uma mentira porque aquele tijolo é imperfeito", desatentos e incapazes que são para admitir que seu orgulho e vaidade são maiores que a própria torre ! 

 

Recentemente pude ler absurdos cada vez maiores, como a acusação falsa e insustentável de que Kardec foi racista, comparando o Espiritismo ao Nazismo, comparando a Codificação como Doutrina apoiada por Hitler, seria cômico se não fosse tão absurdo. Que deturpamos os ensinamentos do Cristo. Esta também foi uma argumentação perfeitamente destruída e lançada por terra de forma brilhante. Cada vez mais a Doutrina Espírita se fortalece porque em tudo temos que observar os benefícios dela decorrentes. Existem males que vem para o bem e acredito que toda essa gama de ataques são de alguma forma benéficas para todos nós, cada vez que um argumento é lançado por terra temos aí mais dúvidas esclarecidas, mais divulgação, mais fortalecimento da Doutrina. Exatamente como predito pelos Espíritos Superiores de que os detratores seriam os maiores divulgadores da Doutrina. Cada vez mais pessoas observam a lógica e a fortaleza da Doutrina e também vão notando o desespero e a impossibilidade dos seus detratores em depreciá-la.

 

Estamos vigilantes, atentos, cada vez mais atuantes na defesa do Espiritismo pois sabemos que os ataques não vão parar por aí, é só o começo, estamos preparados e sabemos que a Doutrina estará firme e seguirá em frente, crescendo cada vez mais, levando verdade e consolo a cada vez mais pessoas, iluminando cada vez mais. Os irmãos que hoje lutam de forma ferina, cerrando os punhos e esbravejando contra o Espiritismo ao falarem da Doutrina, desencarnarão um dia e entrarão em contato com a verdade. Reencarnarão cada vez mais dóceis, até que atingirão a maturidade de aceitar e lutar pela sua libertação e crescimento espiritual e não pela vitória exclusiva de sua crença religiosa.

 

Assim é que observamos esses anátemas que cada vez mais se apresenta contra o Espiritismo, e com serenidade e fraternidade vamos seguindo, abrindo picada na mata da ignorância, derrubando essas barreiras, afastando estas idéias absurdas e mostrando o verdadeiro valor das idéias luminosas da Doutrina dos Espíritos.

 

Não nos esqueçamos da frase do nosso grande Emmanuel quando nos disse: "A maior caridade que se pode fazer pela Doutrina Espírita é a sua divulgação" e eu acrescentaria. . . e a sua defesa !. Divulgar o Espiritismo é semear o amor!

 


comentar
publicado por evangelicosfalsosprofetas, em 02.09.10 às 01:19link do post | favorito

Desde fricas épocas o homem precisou viver em sociedade, e neste sentido existiam ou foram criadas as normas. Porque o homem saiu do estado de natureza onde podia tudo e passou a conviver em sociedade, e assim sendo a própria historia alerta a todos nós que ao sair deste estado de natureza o homem vem viver em sociedade e é obrigado a se submeter às normas. Mas, nós temos o que chamamos de direito de fato, e um direito cuja base de sustentação está pautada justamente no clamor público. As sociedades não democráticas da Antiguidade como as civilizações Egípcias, a Mesotopotâmia, a Fenícia, a Pérsia, a Grécia, a própria Roma, tiveram um direito de fato, não sustentado pelo clamor público elegendo, inclusive, seus próprios dirigentes, era um direito onde o Faraó ou o Rei que representava aquela organização política podia tudo.

 

Os direitos naturais, direito à vida, a liberdade de expressão só vieram a ser consagrados posteriormente, com a consagração do próprio Estado.

 

Antes disso a única forma de dominação das classes sociais era a religiosa. No Egito não havia liberdade de expressão, lá tudo era controlado pelo Faraó. Era uma sociedade dividida em castas, porém, já existia algo de extrema relevância que era tolerância religiosa entre os povos.

 

Mesmo assim, esses princípios às vezes eram solapados por base para satisfazer a interesses maiores, dentro da própria da sociedade. Eles tinham uma religião politeísta. Na Antiguidade as mentalidades eram muito diferentes da atualidade, até porque as civilizações da Antiguidade se toleravam bem em certos aspectos, por exemplo, no Egito, na Fenícia, na Pérsia se cultuava os mesmo deuses sem nenhum problema.

Praticar a religião era um direito garantido e isso se perpetuou nas organizações políticas clássicas, como na Grécia e Roma. Era norma dos gregos - que eram politeístas, e dos romanos também, dentro daquelas organizações - respeitar a religião do seu próximo. Se houvesse esse consenso entre religiões diferenciadas na atualidade, não haveria distensões. Os antigos viviam harmonicamente entre si, convivendo com a diversidade e isso era levado à risca porque o homem na Antiguidade era muito religioso, e a religião estava muito vinculada ao poder político. Na Grécia eles eram politeístas, então os gregos e os romanos adotavam o principio da tolerância. Mas nem tudo era tão perfeito, houve civilização que se diferenciou na forma pensar de agir e de sentir e que foi fruto inclusive da abominação de outros povos. Esses povos foram os palestinos, o primeiro povo monoteísta da face da terra. Por conta deles, se propagaram dois ramos de religião; o cristianismo e o islamismo. Os romanos quando começaram a sua expansão, tomaram a palestina e a ocuparam, começaram a transformar os costumes.

 

A tolerância sofreu religiosa ingerência, e quando Jesus reencarna a coisa se tornou pior ainda, porque Jesus começou a solapar por base toda a idéia contrária as suas máximas, - o que não estava de acordo com seu pensamento, - as quais foram alicerçadas em cima das necessidades da humanidade, ele fazia uma critica dura a forma de viver dos fariseus, dos saduceus dos publicanos e dos políticos mesmo porque ele desconsidera tais postos, então a religião cristã - denominação criada por Lucas depois do desencarne do Cristo para denominar os seus seguidores -, passou a ser uma religião perseguida, os seus seguidores passaram a ser subjugáveis e maltratáveis levados inclusive ao crivo do martírio. Os cristãos eram perseguidos, já em relação às religiões politeístas, o cristianismo era uma religião que estava desagregando as ações políticas, que não eram ações positivas à época, então os cristãos foram de encontro ao Estado Romano, enfrentando a religião politeísta vista como superior a cristã e Cristo, seu maior representante.

 

Esse posicionamento de Cristo desagradou a César por isso que os cristãos foram perseguidos. Havia um dia no ano em Roma em todas as pessoas reverenciavam César tal qual um Deus. Jesus se manifestou dizendo; só existe um Deus, e os cristãos, quando tomaram consciência dos ensinamentos do mestre rejeitaram a adoração a César. Por isso foram perseguidos e massacrados, por conta da intolerância do Estado, então o tempo passa Roma se desenvolve, mas não pode manter as fronteiras simplesmente com religião, ela precisa manter as fronteiras com homens. Então entra em nocaute político econômico e social porque no próprio exército se imiscuem os chamados bárbaros (que não professavam a mesma religião e não falavam o latim) e por não praticarem a religião do Estado eram discriminados dentro daquela organização política. Os fariseus (grupos devotos da Torá, criadores das sinagogas) quando se dirigiam a outros grupos em que eles julgassem inferiores pronunciavam "Racca" e cuspiam. Aí estava implícito o preconceito e a base do que nós, os seres humanos sofremos na atualidade por não tolerarmos determinadas práticas. O preconceito é o tratamento desigual que alguém dá ao seu semelhante julgando-se mais apto que ele. Só que Jesus não olhava para o ter, para os seus caracteres os fenótipos, Jesus olhava para o ser e sabia com quem estava lidando, daí porque a sua mensagem criou a revolução que nós conhecemos na atualidade.

 

Com o esfacelamento de Roma surge um líder, Constantino. Ele implementou uma espécie de dominação psíquica e cívica, todavia, os cristãos não concordavam com a religião politeísta, e muito menos com a ingerência do Estado Romano, por isso foram subjugados. Quando Constantino percebeu que a intolerância por parte do Estado Romano, estava levando o próprio Estado a um declínio, publicou o Edito de Milão. Esse Edito foi uma das grandes cartas da época que deu liberdade religiosa, aos cristãos tais quais as demais religiões, mas não tornou o cristianismo a religião oficial de Roma.

 

Dentro da sociologia se estuda no fenômeno da adaptação, então houve um acordo. Constantino outorgou o Édito de Milão o qual deu liberdade de culto aos cristãos. Outrora eles se escondiam nas catacumbas, a partir daquele momento poderiam como os demais, fazer os seus cultos dentro de casa em praça publica da mesma forma que os fariseus e os saduceus, foi um avanço. Mas houve o declínio de Roma, o Império Romano do Ocidente se esfacela surge o Império Romano do Oriente de uma antiga colônia grega chamada Bizâncio, a qual se transformou em Constantinopla. Lá o cristianismo se desenvolveu dentro de outra perspectiva, a da intolerância. Tolerância ali só para com a religião oficial adotou-se o grego como base da interpretação das pregações, a livre interpretação a bíblia, a adoração de imagem que posteriormente houve ingerência do próprio Estado, - o movimento iconoclasta – que não tolera a idolatria, e enquanto isso no mundo ocidental Roma se esfacela, os antigos generais apelam para os senhores feudais, os antigos escravos passam a ser servos, agora com alguns pequenos direitos que lhe possibilitam uma convivência até certo ponto, pacífica.

 

Nesse novo sistema político/econômico vai haver uma inversão de papéis aquele que outrora era perseguido pela intolerância do Estado passa a ser agraciado pelo Édito de Tessalônica do Imperador Teodósio, o qual tornou o Cristianismo a religião oficial do Império Romano, e por isso ela se propagou nas duas vertentes. Enquanto isso a Igreja surge na pessoa dos apóstolos do Cristo. E com seus dirigentes disputando o poder diretamente com os reis, assim a Igreja vai multiplicar seus bens em nome de Jesus, vai começar a adquirir terras, multiplica o que tem de forma exacerbada. Ela vai começar a bater de frente com os lideres, das organizações, porque eles têm o poder. O mundo Ocidental criou a Igreja Apostólica Romana Católica, e com ela os cleros, Regular e Secular. (O clero secular eram aqueles que rezavam a missa e saíam pregando a mensagem; o clero regular era representado pelos monges os criadores de determinadas ordens tais quais os Beneditinos, os Capuchinos, os Franciscanos).

 

O Cesar o papismo surge como um entrave para o Papa no mundo ocidental, bem como para o chefe da Igreja Católica no mundo Oriental. Na capital do Império Romano, Constantinopla o Cesaropapismo foi a presença de Constantino ou de Justiniano posteriormente, na Igreja ditando normas, elegendo o Papa, os Cardeais, os Bispos, o Imperador tinha o controle, César era o representante de Deus, e dos homens na terra. Ele tinha o poder temporal e atemporal. A Igreja do mundo Ocidental adotou o latim como língua oficial que repercutiu adoração à imagem e os dogmas que nós conhecemos até hoje na atualidade. Tanto no Oriente como no Ocidente o Estado foi intolerante para com as demais religiões. Todos os povos subjugados foram convertidos ao catolicismo, isso se deu no mundo Ocidental, e no Reino dos Francos, principalmente com Carlos Magno. Toda povo subjugado por ele era obrigado a se converter ao cristianismo.

 

Em nível religioso houve um conflito, sociológico em se tratando do conceito de adaptação. Houve a subjugação, o povo teve que se converter tal qual cristão novo aqui no Brasil também. Por outro lado a religião no Brasil se desenvolveu e fez algo de espetacular, manteve a arte, e um padrão de arquitetura, conseguiu acolher no seu bojo as obras mais importantes para além da intolerância religiosa. Porque na Idade Média não se falava em direitos naturais ou humanos. A Igreja ditava as normas e a base era teocêntrica. No ano de 1053 o Papa no mundo Ocidental, (Leão III) querendo o controle de toda a Igreja, entra em conflito com o representante do mundo Oriental, (Miguel Perdulário) mas por motivo de intolerância recíproca não houve acordo entre ambos. A falta de acordo gerou uma Cisão por conta da intolerância, de cada representante religioso. A igreja com a sede do poder legitimou o processo seletivo marginalizador, com base na sua própria mensagem quando criou o determinismo de que: "uns nasceram para orar, outros para guerrear outros para trabalhar" aí estava a base de toda a sociedade.

 

Felizmente o homem acabou rompendo com esse tradicionalismo por conta da própria mensagem da Igreja que acabou levando os cristãos ao massacre quando participaram das Cruzadas. As Cruzadas foram mais uma demonstração da intolerância religiosa, e da sede pelo poder. Houve diversas Cruzadas entre o século XI e XIII, sendo as piores entre elas, a Popular e das Crianças. A Cruzada das Crianças de 07 anos foi dizimada pela fome, pela escravização das crianças, e pelo massacre dos muçulmanos. Toda guerra religiosa, o massacre dos muçulmanos e dos católicos foi realizado em nome de Deus. E tudo isso Porque não houve acordos; porque não houve adaptação; porque ninguém queria se subjugar a ninguém.

 

Quando o Estado se organiza na Idade Moderna o Renascimento traz consigo uma nova visão de mundo. O homem não é mais aquele que pensa de forma teocêntrica acreditando que Deus é o centro de tudo e que teria a resposta para tudo, ele começa a se valorar, a questionar. E tal questionamento começa justamente no meio das artes, vem a imprensa, os livros, a facilidade de comunicação. As dificuldades de outrora vão aos poucos, sendo abolidas. Com a utilização da imprensa a Bíblia foi produzida e mais divulgada, mas a intolerância continuava e a primeira manifestação contra esse pensamento foi tomada por um católico chamado Martin Lutero que não concordava com a postura da igreja que enriquecia cada vez mais explorando o seu semelhante e sem permitir que a Bíblia em si, pudesse ser interpretada por qualquer homem. Martin Lutero entra um conflito com outro monge chamado Peckstrel o qual vendia indulgências na Alemanha. - Vendiam-se lençóis que enxugou Jesus, a toalha que pegou no corpo de Jesus, o dedo de Jesus, os cravos que pregaram Jesus - . Então Lutero bateu de frente com o Papa e afixou na catedral de winttemberg a sua bula contendo seus 95 artigos, o Papa exigiu que Lutero se retratasse ou estaria excomungado, mas o monge não temeu as ameaças e encadeou um movimento rompendo com a supremacia da Igreja católica fato que foi um marco na Europa e ficou conhecido no mundo como Reforma Protestante.

 

O protestantismo é claro, não resolveu o problema da intolerância, pois dentro do luteranismo havia dissidências, os anabatistas que eram radicais aos extremos, eles entravam em conflitos e ia para a queda de braço, matavam quebravam imagem, a intolerância era zero entre eles, e respeito à dignidade humana, nem pensar. Mas isso não impediu que o luteranismo se propagasse na Europa. Naquele momento acontecia na Europa a formação dos Estados, burguesia veio à tona e os conflitos permearam esse crescimento. A Dinamarca adotou o princípio da tolerância em relação todas as religiões. Mas em outros locais da Europa essa intolerância se perpetuava e a igreja estava perdendo campo. Aí vem a contra-reforma e com ela nasce a Companhia de Jesus. E a Igreja deu mais uma prova de intolerância religiosa, os Jesuítas massacraram os não cristãos em nome do Cristo, a vida de muita gente foi ceifada. Enquanto isso a Europa, cria um substrato de Estado absolutista aonde ir de encontro a religião do príncipe era ir de encontro ao próprio príncipe, então os clérigos de forma geral se aproveitavam disso para fortalecer cada vez mais, a religião católica afastar o príncipe da Igreja e assumir definitivamente o comando dos fiéis.

 

Com o advento do iluminismo no século XVIII e a criação do Estado mínimo o absolutismo se enfraquece. E o Estado mínimo defende os direitos de primeira geração, que são os direitos de liberdade, onde o Estado tem um limite de interferência na vida dos cidadãos. E a partir das Revoluções dos Estados Unidos e da Francesa, vieram novas fontes de direitos para o homem assegurando o que eles não possuíam anteriormente enquanto isso no Brasil recém-descoberto, os jesuítas na adaptação, subjugam o índio bem e negro trazido da África, desconsidera suas tradições, a forma de pensar de agir sentir, deles. A intolerância religiosa para com os nossos irmãos de culto afro-descendentes e com o indígena por parte dos lusitanos promove a aculturação desses grupos.

 

A outorga da primeira constituição do Brasil de 1824 não deu liberdade de culto, a todas as religiões, as não católicas eram apenas toleradas. E o espiritismo foi introduzido no Brasil por "Olimpo Teles de Menezes" que fundou o primeiro centro espírita. Olimpo Teles de Meneses foi o marco na historia do espiritismo brasileiro. O espiritismo também foi perseguido por ser uma religião tolerada, Assim como o candomblé. Mas com a Maçonaria era diferente, o Estado a tolerava porque além de ser um direito de fato como todas as outras, estava calcado numa família tradicionalista. E ninguém podia contradizer o que o imperador queria, e nesse caso, ele era Maçon. A maçonaria, inclusive, teve um papel importante na política em todo mundo, mas aqui no Brasil foi apenas a mais tolerada, depois vinha o Espiritismo porque foi trazida pela elite. Quanto ao candomblé e a umbanda que são fenômenos tipicamente brasileiros, eram toleradas apenas dentro de casa. Mas a religião oficial do Brasil era o catolicismo. O individuo podia manifestar sua fé desde que não fosse de encontro ao disseminado pelo Estado. As pessoas não podiam mudar de religião nem professar outra religião. No entanto, houve os que desafiaram o poder constituído e defenderam a sua ideologia, como, Olimpo Teles de Menezes que criou o primeiro grupo espírita e manteve contato com Allan Kardec.

 

Apesar de Rui Barbosa, se manifestar contrário à intolerância estatal em relação as demais religiões, somente em 1891 é que O estado vai dar liberdade de culto, contudo. No Estado Novo de Vargas houve perseguição religiosa. Na época de Vargas o regime era ditador, a liberdade de expressão foi suprimida. E, ir de encontro ao Estado era criar para si próprio um grande problema, assim os conflitos religiosos permaneceram durante muito tempo.

 

Com as mudanças na Europa vieram as Declarações, os Documentos e aos poucos além dos direitos de primeira geração (liberdade). Veio o direito de segunda geração (igualdade) e os trabalhadores por meio das greves criticaram e modificaram as bases da Revolução Industrial, o Estado deixou de ser mínimo em contraposição ao Estado absolutista e passou a ser o Estado social de direito. Baseados em programas americanos, o Brasil adotou os direitos dos trabalhadores como hora extra, direito a férias, salário base e Vargas ganhava o nome de "Pai dos Pobres". Aí chega a Declaração Universal dos Direitos Humanos, promulgada pela ONU em 1948. O seu art. 18 diz o seguinte: "Toda pessoa tem direito a uma ordem social e internacional em que os direitos e liberdades estabelecidos na presente Declaração possam ser plenamente realizados".

 

O Brasil adotou o lema da ONU, mas não se esqueceu de lutar por suas liberdades, assim documentos começaram a ser produzidos e os próprios grupos religiosos começaram a se manifestar, a pleitear os seus direitos porque o Estado democrático tem o papel de garantidor e a base dos direitos humanos também está na tolerância. A Declaração de Princípios da Tolerância", criada na França no período de 26/10 a 16/11/1995 define tolerância assim:

 

"1.1 A tolerância é o respeito, a aceitação e o apreço da riqueza e da diversidade das culturas de nosso mundo, de nossos modos de expressão e de nossas maneiras de exprimir nossa qualidade de seres humanos. É fomentada pelo conhecimento, a abertura de espírito, a comunicação e a liberdade de pensamento, de consciência e de crença. A tolerância é a harmonia na diferença. Não só é um dever de ordem ética; é igualmente uma necessidade política e jurídica. A tolerância é uma virtude que torna a paz possível e contribui para substituir uma cultura de guerra por uma cultura de paz."

 

No art. Seguinte diz:

1.2 A tolerância não é concessão, condescendência, indulgência. A tolerância é, antes de tudo, uma atitude ativa fundada no reconhecimento dos direitos universais da pessoa humana e das liberdades fundamentais do outro. […]

 

A constituição de Portugal em seu art. 1º diz o seguinte:

 

A liberdade de consciência de religião e de culto é inviolável.

 

Art. 2º ninguém pode ser perseguido, privado de direitos ou isentos de obrigações ou deveres cívicos por causa de suas convicções ou pratica religiosa.

 

A Constituição brasileira faz uma inovação, ao contrario das outras, na constituição cidadã o legislador originário preocupou-se em trazer à tona em primeira mão os direitos e garantias fundamentais, para posteriormente tratar da organização do Estado. Porque o Estado, tem o dever de promover a segurança dos cidadãos por meio da organização que é dividida em administração publica direta e indireta. Art. 5º inciso VI -" é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias"

 

Cabe ao Estado também, impedir que liberdade se exerça com violação de direito à vida, por exemplo, para exercer a liberdade de culto precisa se tirar uma vida, o Estado interfere para proteger a vida, mas na questão religiosa pura e simples o próprio art. 19 da CF garante a liberdade porque o Estado é laico é um Estado não confessional. Religião de um lado, Estado do outro, não permitida pela Constituição nenhuma ingerência em relação aos grupos religiosos.

 

Na questão da diversidade religiosa é dever de todos nós, respeitar as diferenças, por que o Estado democrático de direito foi uma conquista em relação a arbitrariedade, e estes direitos devem ser assegurados, apesar da intolerância ainda vigorar na sociedade atual. Porque intolerância religiosa hoje é crime, com pena de 01 a 03 anos. A lei Caô nº 7437/85 – (contravenções penais) inclui entre as contravenções penais: "Art. 1º. Constitui contravenção, punida nos termos desta lei, a prática de atos resultantes de preconceito de raça, de cor, de sexo ou de estado civil"

No Brasil já existe uma cartilha em relação ao princípio da tolerância com base no contido na Declaração Universal em 1948, mas nós temos como espelho mais profundo um livro escrito em 1857, "O Livro dos Espíritos" que não é um livro nosso, é dos espíritos, e no se terceiro capitulo o Livros dos Espíritos trata das leis morais. Kardec em 1857, na lei de justiça de amor e de caridade, questiona os espíritos sobre o que seria justiça. Porque a época de Kardec houve as perseguições, a intolerância do próprio Estado em relação aos livros da doutrina espírita que foram queimados em praça pública. Intolerância para com os princípios básicos da doutrina, dentro da própria França Kardec sofreu muito, então ele perguntou aos espíritos na questão 875 - Como se pode definir a justiça? E os espíritos responderam imediatamente: "a justiça consiste no respeito aos direitos de cada um". Então todo ser humano tem o direito de professar a sua religião porque está condizente com a sua forma de agir, de pensar de sentir, com as suas tradições faz parte de uma cultura.

 

Então Kardec continuou perguntando: O que é que determina esses direitos? Os espíritos responderam: "são determinados pela lei humana, pela lei natura"l. Só que a lei humana é transitória, o que certo hoje é errado amanhã, o que é correto aqui é errado lá no Oriente mas a lei natural não. Fazendo os homens leis apropriadas aos seus costumes e ao seu caráter, estabelecem direitos que podem variar como o progresso dos conhecimentos.

 

Vejam que as leis de hoje sem serem perfeitas consagram os mesmos direitos que as da Idade Média. No Brasil Colônia era normal você subjugar o negro. Negro não tinha alma, a escravidão era legitimada, hoje não é mais. Hoje é crime, escravizar alguém, manter em cárcere privado, submeter a trabalhos forçados. Só que os direitos existem, mas não há eficácia, o Brasil tem uma Constituição maravilhosa e que se encaixa perfeitamente no prega o Livro dos Espíritos, mas a intolerância ainda é muito forte. Ainda no Livro dos Espíritos Kardec continuou indagando e foi adiante: além do direito consagrado pela lei humana, qual é a base da justiça fundada sobre a lei natural?: "O cristo vos disse quereis para os outros o que querereis para vós mesmos".

 

No mundo há espaço para todos, pode-se viver em harmonia, mas também é típico, da própria natureza humana viver constantemente procurando o conflito, esse é o grande problema. Nós vivemos numa sociedade, onde existem várias sociedades imbricadas na sociedade o global mas, temos que respeitar a forma do outro pensar a maneira como ele age, como ele sente, nós temos que respeitar os direitos deles de defender e professar a religião escolhida seja ela qual for, não temos o direito de sair por aí atacando a integridade de quem quer seja, ou a religião de quem quer que seja, até porque nós não somos os donos da verdade, e a doutrina espírita ao contrario das demais religiões que tem um aspecto contratual e informal não pede nada em troca, apenas prima pelo desenvolvimento moral do praticante. Existem ainda algumas religiões cujo contrato é o parecido com os da Antiguidade, no Egito, na Pérsia na Palestina na Fenícia, em Roma na Grécia, na Idade Média, eu lhe ofereço isso e você me dá isso em troca, esse é o aspecto contratual.

 

O aspecto contratual na doutrina espírita é baseado nos ensinamentos de Jesus . "a cada um segundo as suas obras", ou seja, não há trocas. Quanto a aspecto formal a doutrina espírita também não tem, porque não há prática de ritos na casa. E este é um pensamento que está na vanguarda, a atualidade do Livro dos Espíritos do nosso mestre Kardec, 1857 depois da Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. Kardec talvez baseado nessas informações pergunta aos espíritos: a necessidade de viver em sociedade acarreta para o homem obrigações particulares?: "Sim, e a primeira de todas é a de respeitar o direito do seu semelhante".

 

O direito natural nada mais é que o somatório de toda nossa vontade delegada a um único governante que nos representa, por isso temos de respeitar o direito de outrem e a doutrina espírita nos ensina a respeitar esses direitos. Pois o sonho do próprio Kardec é o surgimento de um cristianismo que norteie a humanidade para o respeito mútuo e a tolerabilidade como primeiro princípio a ser seguido. Porque a tolerância é a base do desenvolvimento humano.

 

tags:

comentar
publicado por evangelicosfalsosprofetas, em 01.09.10 às 07:29link do post | favorito

  

 

Entendemos o Espiritismo, segundo a Dou­trina codificada por Allan Kardec, como uma norma, relígio-filosófica, de dar à criatura humana todos os meios simples e práticos de alcançar a própria valorização moral. Através do estudo e da exemplificação da Doutrina, cuja base evangélica é evidente, podem, o homem e a mulher, compreender a verdadeira significação da vida terrena, com todos os seus problemas, dores e aflições, ligando-a ao mundo espiritual, porque os dois mundos se interpenetram e se influenciam reciprocamente.

 

A Lei de Causa e Efeito, o Carma, como dizem os hindus, é inflexível e sua execução constitui, antes de simples castigo, uma imposição criada pelas ações do Espírito encarnado ou desencarnado para o seu necessário progresso, que pode ser mais lento ou mais rápido, conforme determinadas circunstâncias.

 

Para nós, portanto, o Espiritismo tem extraordinária importância no desenvolvimento moral da Humanidade. Não se destina a fazer santos, mas homens retos, dignos do respeito geral, úteis a si e ao próximo, capazes de, por seu comportamento e modo de pensar, imprimir ao Bem uma ação muito mais dinâmica do que tem sido, ao mesmo tempo transformando o Mal, neutralizando-lhe os efeitos e aproveitando-lhe a energia, a fim de que se reduza e um dia fique extinto. Nada, porém, será obtido sem a educação individual, sem que se dê à pessoa humana a atenção imprescindível, desde a criança até o ancião. Essa a obra grandiosa do Espiritismo: modelar o caráter humano, fazendo cada um compreender o elevado papel que tem a desempenhar na vida terrena e em face de seus semelhantes e dos compromissos que traz do passado espiritual.

 

*

 

Quando se alude a Jesus, alguns cépticos sorriem “superiormente”. Consideram que o Cristianismo não forma homens, mas múmias, seres abúlicos, neutros, passivos, incapazes de ações enérgicas, sempre choramingantes, de cabeça baixa, permitindo abusos e tolerando absurdos, em nome da humildade, da tolerância e do amor ao próximo. Ora, as coisas não devem ser olhadas dessa maneira. Se o misticismo tem proporciona­do episódios que pareçam justificar semelhante conceito, mais por imperfeição das criaturas humanas do que do legítimo espírito cristão, a vida de Jesus oferece aspectos absolutamente contrários a essa concepção sombria e negativa da personalidade humana.

 

Jesus foi humilde sem ser servil ou covarde. Foi bravo sem ser agressivo. A cena dos mercadores do templo, por ele expulsos, é prova eloquente de energia, de coragem, de intenção moralizadora. Enfrentou sozinho, bravamente, aqueles que profanavam o lugar sagrado. Sua atitude de dar ao mundo uma doutrina nova, mais humana, mais edificante, sem violência nem fanatismo, arrostando, como arrostou, todos os perigos, sofrendo humilhantes, torturas e o fim material na cruz, dão conta mais do que outro qualquer exemplo, da sua incomum bravura.

 

Dele conhecemos somente o nos contam os Evangelhos. E’ pena que não haja mais pormenores da sua passagem pela Terra, porquanto os fatos do seu itinerário humano não devem ter-se restringido apenas ao que nos relatam os Evangelhos, ressaltando mais a finalidade religiosa da sua peregrinação.

 

Ninguém deu mais belas provas de sinceridade. Nada mais degradante do que a hipocrisia, que, ainda hoje, campeia por todos os cantos. Os hipócritas mostram sorrisos, abraçam, louvam, embora, intimamente, não experimentem satisfação alguma com o que fazem para iludir. Quando há sinceridade real, sentimos o calor espiritual das atitudes, a vibração benéfica das palavras de agrado ou louvor. Há gente assim, insincera, em toda parte. Nem foi por outro motivo que Jesus, tão doce e benévolo, tão tolerante e discreto, não se conteve ao repelir a hipocrisia: “Hipócritas, bem profetizou de vós Isaías: Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. Adoram-me, porém, em vão, ensinando doutrinas que são preceitos de homens”.  E adverte: “Quando orardes, não sejais como os hipócritas.”

 

Em Mateus, 6:1-2, 6:2-6, 6:16-18, 15:7-9 e 23:5-10, ele condena a hipocrisia e os hipócritas.

 

O mundo herdou, por força daqueles que pretenderam, pela comoção, obter o que não alcançavam pelo entendimento claro, a idéia de um Jesus chagado, coberto de sangue, para sempre dependurado na cruz. O mundo mudou de­pois da noite negra da Idade Média e se libertou de concepções retrógradas, adquirindo plena consciência do seu direito de pensar e de dizer. Desde aí, muitas interpretações benéficas da personalidade de Jesus e do legítimo objetivo do verdadeiro Cristianismo contribuíram, e contribuem, para dar à Humanidade um retrato mais compatível com a dignidade do Cristo, retirando-o da cruz, que foi um episódio de sua vida terrena, episódio dramático, triste, cruel, mas apenas um episódio.

 

Em vez de um Jesus morto e divinizado, temos, no Espiritismo, um Jesus vivo, glorifica­do por sua grandeza moral e por suas obras e idéias, pela ascendência espiritual de que desfruta, como Espírito puro, de altíssima hierarquia, a quem estão entregues os destinos deste planeta e, consequentemente, os da Humanidade terrena.

 

Em “Os Quatro Evangelhos”, Roustaing nos permite ver como os Evangelistas e Apóstolos nos apresentam a grandeza do Mestre excelso e de sua magna doutrina, sem os macabros acessórios que o têm acompanhado nas apresentações de religiões ditas tradicionais: coroa de es­pinhos, cravos, sangue, sangue, sangue.

 

Jesus não prega a tristeza, a dor, o desânimo. Pelo contrário, encontramos nos Evangelhos a prova de sua alegria, do seu amor à coragem, à iniciativa, ao trabalho. Sempre aconselhou àqueles que, tangidos pelo sofrimento, pareciam derrotados, que tivessem ânimo.

 

Nas horas mais amargas, revelou fé, bravura e firmeza. Sacrificaram-no, mas não lhe quebraram a tenacidade. Por conseguinte, devemos todos deixar de lado o que há de tétrico e sombrio em torno de Jesus, para nos identificarmos com os seus exemplos maravilhosos, contidos nos

 

Evangelhos, os quais ajudam a formar homens de caráter forte, decididos, confiantes em si, destemerosos e persistentes.

 

Para nós, espíritas, Jesus está vivo, sempre esteve vivo. A cruz é um símbolo. Não nos preocupam símbolos, mas tudo quanto pode concorrer para dar à Humanidade, dentro da razão esclarecida, a confiança que nasce do conheci­mento sólido, a fé, que não prescinde do raciocínio, porque a fé viva é útil, fecunda, construtiva, enquanto que a fé inculcada por dogmas (perinde ac cadaver) faz autômatos, destrói a razão, corrompe o raciocínio e alimenta o fanatismo.

 

 Fonte: Reformador – novembro, 1965

 

tags:

comentar
publicado por evangelicosfalsosprofetas, em 28.08.10 às 01:32link do post | favorito

Uma das barreiras que infelizmente separam as religiões entre si é, sem dúvida, a pretensão que cada uma alimenta de ser dona exclusiva da verdade.

Esse raciocínio, pretensiosamente malformado, suscita em seus adeptos o veneno do fanatismo. Este, pela sua própria natureza nociva, cria na mente de cada criatura a idéia de um paraíso fantasioso, para onde irão, supostamente, os “eleitos do Senhor”.

Esse paraíso, criado pelas religiões que afirmam ter suas fontes doutrinárias no Cristianismo, mas que se permitiram engodar nas teias dos dogmas, da idolatria e dos rituais, não parece ser aquele ensinado por Jesus em seu Evangelho.

O paraíso ou reinado celestial ensinado pelas religiões ditas cristãs, segundo a mentalidade dogmática, é facilmente conquistável. Basta ser temente a Deus, crer no Senhor Jesus e aceitar que a Bíblia é a palavra de Deus e, assim, tudo se acomodará às mil maravilhas.

O Reino dos Céus, tão decantado pelo Cristo em suas convincentes pregações, é a perfeita figura simbólica do reino da paz que cada homem deve construir dentro de si mesmo. Com certeza, essa conquista-realização interior é difícil, trabalhosa, longa, sacrificial e espinhosa. Mas, significativamente benéfica.

Para aqueles que possuem apenas um razoável senso de discernimento das coisas, é bastante para compreenderem que existe uma palmar diferença entre o paraíso das religiões e o ensinado por Jesus. Desse modo, pode-se dizer que o primeiro é conquistável através de realizações exteriores, partindo da periferia para dentro; o segundo, porém, é conquistável por meio de construções íntimas, plenamente interiores, resultantes de mudanças ou transformações profundas no campo íntimo e complexo da personalidade, trabalhando e elevando o caráter a nível superior. É um trabalho realizado pelo próprio Espírito em sua intimidade, e que se projeta para fora do seu mundo interno. Neste sentido, Jesus asseverou: “O Reino de Deus está dentro de vós.”

Interpretando essa passagem evangélica com as luzes da Doutrina Espírita, pode-se afirmar sem receios de equívocos, que é improfícua toda e qualquer iniciativa do homem no sentido de conquistar o paraíso celestial fora dos preceitos ensinados pelo Cristo. Assim, que ele próprio o confirme: “Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.”

Consoante a sabedoria dos homens mais experientes, em tudo na vida o radicalismo é prejudicial. É a maior verdade! O fanatismo religioso não deixa de ser uma espécie de corruptor da razão. Um indivíduo fanático, radicalmente apaixonado em matéria de fé, possui o raciocínio corrompido pela paixão. E pode até ver com a visão material (vale a redundância), mas não consegue enxergar com os olhos do bom senso. Não está devidamente maduro para alcançar o sentido das coisas relativas ao Espírito – ou não alcança a essência das coisas. É a esse gênero de cegueira espiritual que Jesus faz referência em seu Evangelho.

Pois bem! Muita gente pensa – pessoas adeptas de algumas escolas religiosas – que goza do privilégio de receber passaporte direto para o reino celestial.

Todavia, olvida ou ignora estas palavras do Cristo, proferidas com ênfase e em sentido claramente profético: “Tenho ainda outras ovelhas que não são deste aprisco; é preciso que também a essas eu conduza; elas escutarão a minha voz e haverá um só rebanho e um único pastor.” (João, 10:16.)

Vamos questionar?

Com essa profecia, quis o Cristo dizer que dia viria em que todos os homens estariam unidos por uma única religião ou crença? Quando assim acontecer, que força, que poder moral e espiritual e que sabedoria possuiria tal religião, com o mérito de agregar todas as criaturas em torno de si? Apenas dirimindo dúvidas, seria realmente uma crença, uma fé, a própria Bíblia, uma doutrina, ou o próprio Cristo em seu suposto segundo advento? Ou caberia tal mérito a uma Doutrina identificada com o próprio Jesus em sentido de sabedoria, amor e verdade?

Segundo entendimento do Codificador do Espiritismo, para que possa ocorrer uma unidade de crença universal, todas as religiões terão de convergir para um campo de absoluta neutralidade. Contudo, para se alcançar tal objetivo, necessariamente, diz Kardec: “(...) todas terão que fazer concessões e sacrifícios mais ou menos importantes, conformemente à multiplicidade dos seus dogmas particulares”. (A Gênese, cap. XVII, no 32, edição FEB.)

Ademais, paralelamente aos fatores renúncias, sacrifícios e concessões que deverá haver da parte das religiões, como afirma o Codificador do Espiritismo, também contribuirá, significativamente, a Ciência. Com a palavra Kardec:

“Demolindo nas religiões o que é obra dos homens e fruto de sua ignorância das leis da Natureza, a Ciência não poderá destruir, mau grado à opinião de alguns, o que é obra de Deus e eterna verdade. Afastando os acessórios, ela prepara as vias para a unidade.” (Idem, ibidem.)

Eis aí importantíssimo papel da Ciência no concerto universal das crenças religiosas.

É ou não a voz do “bom senso encarnado” (como disse Camille Flammarion em discurso no túmulo de Kardec) que profetizou o futuro das religiões? Porventura, não é isso que as religiões cristã e não cristãs já vêm fazendo, com o fim de se confraternizarem, abrindo espaços para mútuas concessões? Parece que sim!

Por tudo isso se vê e conclui que discussões e concessões de parte a parte são as bases dos bons acordos, não somente no campo de todas as atividades humanas, mas também e principalmente nos setores de todas as religiões. Assim, tudo leva a crer que tão-somente desse modo as crenças religiosas alcançarão as metas da unidade apontadas por Allan Kardec.

Ora, quem se auto-analisar e analisar as imperfeições humanas, facilmente concluirá que a almejada unidade das religiões em “um só rebanho e um só pastor”, como disse o Cristo, não é acontecimento para já. É uma realização lenta, contínua e muito longa. Diria que o processo é de auto-educação espiritual,que se fará no espírito de cada crente religioso. Mas, para isso, cada um terá de demolir em seu interior as cortinas de ferro do orgulho, da vaidade e do egoísmo religioso e também dos interesses particulares.

Ademais, não é difícil observar que, até o presente, as religiões tradicionais do Ocidente como as do Oriente têm sido competitivas. Cada uma se acha no direito de estar com a verdade absoluta e dizer a última palavra em matéria de fé, o que, inevitavelmente, tem sido o fator básico para a divisão antipática entre elas.

Ora, como podem as religiões baseadas nos Antigo e Novo Testamentos se considerarem senhoras donas da verdade? Como podem se, em princípio, a Bíblia, em face de suas contradições, não é a palavra de Deus? Além do que, devido à imaturidade espiritual do povo daquela época, Jesus não disse tudo. Ele teve a prudência de reservar para si e para o Espírito Consolador o conhecimento da Verdade: “Tenho muitas coisas para vos dizer, mas não entendeis agora. Mas quando vier o Espírito da Verdade, ele vos ensinará toda a verdade.” (João, 14:15.)

Finalizando, no citado livro A Gênese (cap. XVII, no 40) Allan Kardec, entre outras coisas, diz: “A doutrina de Moisés, incompleta, ficou circunscrita ao povo judeu; a de Jesus, mais completa, se espalhou por toda a Terra, mediante o Cristianismo, mas não converteu a todos; o Espiritismo, ainda mais completo, com raízes em todas as crenças, converterá a Humanidade.”

Agora, uma pergunta:

É a Doutrina Espírita o pólo científico, filosófico e religioso que conseguirá agregar todas as religiões, para dar cumprimento à profecia do Cristo, em sua afirmativa “elas escutarão a minha voz e haverá um só rebanho e um único pastor”?

SEVERINO BARBOSA

Reformador  Set.2001


comentar
publicado por evangelicosfalsosprofetas, em 27.08.10 às 00:01link do post | favorito

 

 

"Deus não é o autor de confusão". Coríntios 14:33 OK, então o que diabos é a Bíblia a respeito? Devemos matar? Êxodo 20:13 "Não matarás." Levítico 24:17 "E aquele que mata qualquer homem, certamente será morto. "

vs

Êxodo 32:27 "Assim diz o Senhor Deus de Israel: Cada um ponha a sua espada ao seu lado,... E matar cada um a seu irmão,... Companheiro... Vizinho." I Samuel 06:19 ". .. e as pessoas lamentaram, porque o Senhor havia ferido muitas pessoas com uma grande matança. "I Samuel 15:2,3,7,8" Assim diz o Senhor... Agora vá e fere a Amaleque, e destrói totalmente a tudo que eles têm, e não lhe perdoes, mas mata o homem ea mulher, criança e de peito, bois e ovelhas, camelos e jumentos.... E Saul feriu os amalequitas... e destruíram todas as pessoas com a borda do espada. "Números 15:36" E toda a congregação o levou para fora do arraial, eo apedrejaram, e morreu, como o Senhor ordenara a Moisés. "Oséias 13:16" Cairá à espada, seus filhos devem ser despedaçado, e as mulheres com filhos devem ser rasgado. "

Para uma discussão sobre a defesa de que os mandamentos só proíbem o assassinato, consulte "Murder, ele escreveu", capítulo 27 (Losing Faith In Faith: From Preacher To Atheist).

Devemos dizer mentiras? Êxodo 20:16 "Não dirás falso testemunho. Provérbios 12:22" Os lábios mentirosos são abomináveis ao Senhor ".

vs

I Reis 22:23 "O Senhor pôs um espírito de mentira na boca de todos estes teus profetas, eo Senhor te falado sobre o mal." II Tessalonicenses 2:11 "E por isso Deus lhes enviará a operação do erro, que creiam a mentira. "

Além disso, compare com Josué 2:4-6 James 2:25.

Se nós roubamos? Êxodo 20:15 "Não furtarás." Levítico 19:13 "Não oprimirás o teu próximo, nem o roubarás".

vs

Êxodo 03:22 "E sereis despojos dos egípcios." Êxodo 12:35-36 "E despojaram [saqueadas, NRSV] os egípcios." Lucas 19:29-34 Mais "[Jesus] enviou dois de seus discípulos, dizendo: Ide à aldeia... achareis um jumentinho preso, mas nunca whereon homem sentou-se: solta-lo e trazê-lo aqui. E se alguém vos perguntar: Por que fazeis solta-lo? Assim direis a ele, porque o Senhor precisa dele.... E como eles estavam soltando o jumentinho, os seus donos lhes disse: Por que desprendeis o jumentinho? E eles disseram: O Senhor precisa dele ".

Ensinaram-me como uma criança que, quando você pegar algo sem pedir, isto é roubar.

Devemos guardar o sábado? Êxodo 20:8 "Lembra-te do dia de sábado para santificá-lo." Êxodo 31:15 "Quem fizer qualquer trabalho no dia de sábado, ele certamente será morto." Números 15:32,36 "E quando os filhos de Israel estavam no deserto, acharam um homem apanhando lenha no dia de sábado.... E toda a congregação o levou para fora do arraial, eo apedrejaram, e morreu, como o Senhor Moisés. "

vs

Isaías 01:13 "As luas novas e sábados, ea convocação de assembléias, não posso acabar com, é iniqüidade." João 5:16 "E por isso os judeus perseguiram Jesus e procuravam matá-lo, porque ele tinha feito essas coisas no dia de sábado. "Colossenses 2:16" Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou em relação a um dia de festa, ou da lua nova, ou dos sábados. "Vamos fazer escultura imagens? Êxodo 20:4 "Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que está nos céus... terra... água." Levítico 26:1 "Vós fazeis não ídolos, nem imagem de escultura , nem vos levantareis imagem de pé, nem poreis qualquer imagem de pedra. "Deuteronômio 27:15" Maldito o homem que fizer imagem esculpida, ou fundida ".

vs

Êxodo 25:18 "Farás dois querubins de ouro, os trabalhos de tu batido torná-los". I Reis 7:15,16,23,25 "Para ele [Salomão], as duas colunas de bronze... E dois capitéis de bronze fundido... E ele fez um mar de fundição... ele estava sobre doze bois... [e assim por diante] "Somos salvos por meio de obras? Efésios 2:8-9" Porque pela graça sois salvos, mediante a fé.. não. obras. "Romanos 3:20,28" Assim, por obras da lei nenhuma carne será justificada diante dele. "Gálatas 2:16" Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da a lei, mas pela fé em Jesus Cristo. "

vs

Tiago 2:24 "Vedes então que é pelas obras que o homem é justificado, e não somente pela fé." Mateus 19:16-21 "E eis que veio um e disse-lhe: Bom Mestre, que coisa boa é que eu fazer, que eu possa ter a vida eterna? E ele [Jesus] disse-lhe... guarda os mandamentos.... O jovem disse-lhe: Tudo isto tenho observado desde a minha juventude: o que me falta ainda? Jesus disse-lhe: Se queres ser perfeito, vai, vende tudo que tens e dá aos pobres, e terás um tesouro no céu. "

A defesa comum aqui é que "somos salvos pela fé e obras". Mas Paulo disse: "não de obras."

Deve ser visto boas obras? Mateus 5:16 "Que sua luz brilhe diante dos homens para que vejam as vossas boas obras." I Pedro 2:12 "Tendo o vosso viver honesto entre os gentios: que... Eles podem, por sua boa obras, que devem contemplar, glorifiquem a Deus no dia da visitação ".

vs

Mateus 6:1-4 "Guardai-vos não fazer a vossa esmola diante dos homens, para serdes vistos por eles... Que a tua esmola fique em segredo." Mateus 23:3,5 "Não vos após a sua fariseus [' obras].... todas as suas obras eles fazem para ser vistos pelos homens. "Se nós próprios escravos? Levítico 25:45-46" Além dos filhos dos forasteiros que peregrinam entre vós, deles sereis comprar, ... e eles serão o seu poder... eles mesmos serão os vossos servos para sempre. "Gênesis 9:25" E ele [Noé] disse: Maldito seja Canaã; servo dos servos será de seus irmãos. "Êxodo 21 : 2,7 "Se tu comprares um escravo hebreu, seis anos servirá; e no sétimo sairá livre para nada.... E se algum vender sua filha para ser serva, ela não deve sair como os escravos. "Joel 3:08" E eu venderei vossos filhos e vossas filhas na mão dos filhos de Judá, e eles devem vendê-los aos sabeus, a um povo muito longe: para o Senhor o disse . "Lucas 12:47,48 [falando] Jesus" E o servo que soube a vontade do seu senhor, e não se aprontou, nem fez conforme a sua vontade, será castigado com muitos açoites. Mas ele não soube, e fez coisas dignas de açoites, será castigado com poucos açoites. "Colossenses 3:22" Servos, obedecei em tudo a vossos senhores ".

vs

Isaías 58:6 "Desfazer os pesados encargos... Deixar em liberdade os oprimidos,... Quebrar todo o jugo." Mateus 23:10 "Nem vos chameis mestres, porque um só é o vosso Mestre, o Cristo."

versículos bíblicos escravidão Pro foram citados por muitas igrejas no Sul durante a Guerra Civil, e foram usados por alguns teólogos da Igreja Reformada Holandesa para justificar o apartheid na África do Sul. Há mais versos pró-escravidão que os citados aqui.

Será que Deus mudou de idéia? Malaquias 3:6 "Pois eu sou o Senhor, não mudo." Números 23:19 "Deus não é homem para que minta, nem filho do homem, para que se arrependa". Ezequiel 24:14 "Eu, o Senhor falou: ela deve vir a passar, e vou fazê-lo, eu não vou voltar atrás, não pouparei, nem me arrepender." Tiago 1:17 "... o Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação. "

vs

Êxodo 32:14 "E o Senhor se arrependeu do mal que pensava fazer ao seu povo." Gênesis 6:6,7 "E o Senhor arrependeu-se que he ter feito o homem sobre a terra. . . E o Senhor disse: "Vou destruir o homem que criei a partir da face da terra. . . por isso Arrependo-me de tê-lo feito. "Jonas 3:10". . . e Deus se arrependeu do mal, que ele tinha dito que lhes faria e não o fez. "

Veja também II Reis 20:1-7, Números 16:20-35, Números 16:44-50.

Veja Gênesis 18:23-33, onde Abraão recebe de Deus a mudar de idéia sobre o número mínimo de justos em Sodoma necessárias para evitar a destruição, a negociação para baixo 50-10. (Um Deus onisciente deve ter sabido que ele estava jogando com as esperanças de misericórdia de Abraão - que destruiu a cidade de qualquer maneira.)

Somos punidos pelos pais, os nossos pecados Êxodo 20:5? "Pois eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração." (Repetido em Deuteronômio 5:9) Êxodo 34,6-7 "... O Senhor Deus, misericordioso e clemente... Que por não inocenta o culpado; que visito a iniqüidade dos pais nos filhos, e sobre o de filhos dos filhos até a terceira e quarta geração. "I Coríntios 15:22" Porque, assim como todos morrem em Adão,... "

vs

Ezequiel 18:20 "O filho não levará a iniqüidade do pai." Deuteronômio 24:16 "Os pais não devem ser condenados à morte para as crianças, nem os filhos serem mortos pelos pais: cada homem deve ser condenado à morte pelo seu próprio pecado. "Deus é bom ou mau? Salmo 145:9" O Senhor é bom para todos. "Deuteronômio 32:4" Deus é a verdade e sem iniqüidade, justo e reto é ele. "

vs

Isaías 45:7 "Eu faço a paz e crio o mal. Eu o Senhor, faço todas estas coisas." Consulte "fora do contexto" para saber mais sobre Isaías 45:7. Lamentações 3:38 "Fora da boca do Alto procede a maioria não o bem eo mal?" Jeremias 18:11 "Assim diz o Senhor: Eis que estou forjando mal contra você, e de um dispositivo contra você. "Ezequiel 20:25,26" Eu também lhes deu estatutos que não eram bons, e juízos pelos quais não deveriam viver. E os contaminei em seus próprios dons, nos quais faziam passar através do fogo Tudo o que abre o ventre, que eu poderia fazê-los desolada, a fim de que soubessem que eu sou o Senhor. "Deus seduzir as pessoas? Tiago 1:13" Ninguém, diz... Sinto-me tentado de Deus, porque Deus não pode ser tentado pelo mal, nem tempteth que qualquer homem. "

vs

Gênesis 22:01 "E aconteceu depois destas coisas, que Deus provou a Abraão." Deus é pacífico? Romanos 15:33 "O Deus da paz." Isaías 2:4 "... E eles devem vencer as suas espadas em arados e suas lanças em podadeiras: uma nação não levantará a espada contra outra nação, nem aprenderão mais a guerra. "

vs

Êxodo 15:3 "O Senhor é homem de guerra." Joel 3:9-10 "Preparai a guerra, acordar os homens poderosos, que todos os homens de guerra se aproxima, deixe-os vir: Beat seu arados em espadas, e seu foices em lanças; diga o fraco: Eu sou forte. "Jesus foi pacífico? João 14:27 Paz" Deixo com vocês, a minha paz vos dou. "Atos 10:36" A palavra que Deus enviou ao os filhos de Israel, anunciando a paz por Jesus Cristo. "Lucas 02:14"... paz na terra, boa vontade para com os homens. "

vs

Mateus 10:34 "Não penseis que vim trazer paz à terra: Eu não vim trazer paz, mas espada. Porque eu vim pôr em dissensão o homem contra seu pai, ea filha contra sua mãe, e a nora contra sua sogra. E os inimigos do homem serão os da sua própria casa. "Lucas 22:36" E disse-lhes:... ele que não tem espada, venda a sua capa e comprar um. "Was Jesus confiável João 8:14?" Ainda que eu testifico de mim mesmo, meu testemunho é verdadeiro. "

vs

João 05:31 "Se eu der testemunho de mim mesmo, meu testemunho não é verdadeiro."

"Record" e "testemunha" nos versos acima são a mesma palavra grega (martyria).

Vamos chamar o povo de nomes de Mateus 5:22? "Quem disser: Tolo, será réu do fogo do inferno." [Jesus falando]

vs

Mateus 23:17 "Insensatos e cegos." [Jesus falando] Salmos 14:1 "Diz o insensato em seu coração, Deus não existe." Alguém viu Deus? João 1:18 "Ninguém jamais viu a Deus a qualquer momento." Êxodo 33:20 "Tu podes não veja a minha face, pois o homem não me ver, e viver. "John 6:46" Não que alguém visse ao Pai, senão aquele que é de Deus [Jesus] que ele tem visto o Pai ". I João 04:12 "Nenhum homem jamais viu a Deus a qualquer hora."

vs

Gênesis 32:30 "Porque eu tenho visto Deus face a face." Êxodo 33:11 "E o Senhor a Moisés face a face, como um homem fala ao seu amigo." Isaías 6:1 "No ano em que o rei Uzias morreu, eu vi o Senhor sentado sobre um trono alto e exaltado, e suas vestes enchiam o templo. "Jó 42:5" Eu tenho ouvido falar de ti pela audição do ouvido, mas agora meus olhos te vêem. "How Deuses existem? Deuteronômio 6:4 "O Senhor nosso Deus é o único Senhor."

vs

Gênesis 1:26 "E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem." Gênesis 3:22 "E o Senhor Deus disse: Eis que o homem se tornou como um de nós, conhecendo o bem eo mal." I João 5 : 7 "E há três que dão testemunho no céu: o Pai, a Palavra eo Espírito Santo: e estes três são um."

Não adianta alegar que "Vamos" é o magistral "nós". Tal uso implica a inclusão de todas as autoridades, sob a liderança de um rei. Invocar a Trindade não resolve nada, pois tal idéia é mais contraditório que o problema que tenta resolver.

Será que somos todos pecadores? Romanos 3:23 "Porque todos pecaram e vem curto da glória de Deus." Romanos 3:10 "Como está escrito: Não há justo, nem sequer um." Salmos 14:3 "Não há ninguém que faça o bem, não há nem um sequer."

vs

Jó 1:1 "Havia um homem... Cujo nome era Jó, e que o homem era íntegro e reto." Gênesis 7:1 "E o Senhor disse a Noé: Entra tu e toda a tua casa na arca, para ti hei visto justo diante de mim nesta geração. "Lucas 01:06" E eram ambos justos perante Deus, andando em todos os mandamentos e preceitos do Senhor inocente. "Quantos anos Acazias? II Reis 8:26" Two e vinte anos foi Acazias, quando começou a reinar. "

vs

II Crônicas 22:02 "Quarenta e dois anos foi Acazias, quando começou a reinar." Devemos fazer um juramento Números 30:2? "Se um homem um voto voto ao SENHOR, ou fazer um juramento... Ele deve fazer conforme tudo que sai da sua boca. "Gênesis 21:22-24,31"... jura-me aqui por Deus que não te haverás falsamente comigo... E disse Abraão: Eu jurarei.. .. Pelo que chamou aquele lugar Berseba "[além do juramento"], porque ali os dois juraram. "Hebreus 6:13-17" Pois quando Deus fez a promessa a Abraão, porque ele podia jurar por não maior, ele jurou por si mesmo... para os homens juram por quem é maior, eo juramento para confirmação é para eles um fim de toda contenda. que, querendo Deus mostrar mais abundantemente aos herdeiros até a da promessa a imutabilidade do seu conselho, confirmadas pelo um juramento. "

Veja também Gênesis 22:15-19, Gênesis 31:53, e os Juízes 11:30-39.

vs

Mateus 5:34-37 "Mas eu vos digo, juro que não em todos, nem pelo céu... Nem pela terra.... Nem jurarás pela tua cabeça.... Mas vamos a sua comunicação ser, sim , sim, Nay nay: por tudo o que é mais do que isso vem do maligno. "Tiago 5:12"... juro que não, nem pelo céu, nem pela terra, neither por qualquer outro juramento, mas deixe o seu sim seja sim e seu não, não, para que não caiais em condenação. "Quando Jesus foi crucificado? Marcos 15:25" E era a hora terceira quando o crucificaram. "

vs

João 19:14-15 "E sobre a hora sexta, e disse ao judeus: Eis o vosso rei! Mas eles gritaram... Crucificá-lo."

É uma defesa ad hoc para afirmar que existem dois métodos de contar o tempo. Isso nunca foi demonstrado que este é o caso.

Vamos obedecer a lei? I Pedro 2:13 "Sujeitai-vos a toda autoridade humana... Ao rei, como soberano, quer aos governadores." Mateus 22:21 "Dai pois a César o que é de César". Veja também Romanos 13:1,7 e Tito 3:1.

vs

Atos 5:29 "Devemos obedecer a Deus do que os homens." Quantos animais na arca? Gênesis 6:19 "E de todos os viventes de toda carne, dois de cada espécie tu deverás trazer para dentro da arca." Gênesis 7 :8-9 "Dos animais limpos e dos animais que não são limpos, e das aves, e de cada coisa que se arrasta sobre a terra, entraram de dois em dois para Noé na arca, macho e fêmea, como Deus ordenara a Noé.. "Gênesis 7:15" E eles entraram para Noé na arca, dois a dois de toda carne, onde está o sopro da vida. "

vs

Gênesis 7:02 "De todo animal limpo tu tomar para ti sete e sete, macho e sua fêmea, e dos animais que não são limpos, dois, o macho e sua fêmea." Eram mulheres e homens criados iguais? Gênesis 1: 27 "Assim Deus criou o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou, macho e fêmea criou-os."

vs

Genesis 2:18,23 "E o Senhor Deus disse: Não é bom que o homem esteja só, vou fazer-lhe uma ajuda para ele cumprir.... E disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne: ela será chamada mulher, porque ela foi tirada do Homem ". árvores foram criadas antes dos seres humanos? Gênesis 1:12-31" E a terra produziu erva, erva dando semente conforme a sua espécie, ea árvore dar frutos, cuja semente está nela conforme a sua espécie:... E foi a tarde ea manhã foram o terceiro dia.... E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem... E foi a tarde ea manhã foram o sexto dia. "

vs

Gênesis 2:5-9 "E toda a planta do campo antes que fosse na terra, e toda a erva do campo antes que ele cresceu: porque o Senhor Deus não tinha feito chover sobre a terra, e não era um homem para lavrar a terra.. E. ÊAnd o Senhor Deus formou o homem do pó da terra... E o Senhor Deus plantou um jardim no Éden, para o oriente, e pôs ali o homem que tinha formado. E fora da terra o Senhor Deus fez brotar toda árvore que é agradável à vista e boas para comida ". Michal quis ter filhos? II Samuel 6:23" E Mical, filha de Saul não teve filhos, até ao dia de sua morte. "

vs

II Samuel 21:08 "Mas o rei tomou os dois filhos de Rispa... E os cinco filhos de Mical, filha de Saul." Como muitas tendas fez Salomão? I Reis 4:26 "Tinha Salomão quarenta mil estrebarias de os cavalos de seus carros, e doze mil cavaleiros. "

vs

II Crônicas 9:25 "Tinha Salomão quatro mil manjedouras para os cavalos e carros, e doze mil cavaleiros." Será que os homens de Paul ouço uma voz? Atos 9:7 "E os homens que viajavam com ele quedaram-se emudecidos, ouvindo a voz, mas não vendo ninguém. "

vs

Atos 22:09 "E os que estavam comigo viram a luz, e ficaram com medo, mas eles não ouviram a voz daquele que falava comigo." Será que Deus é onipotente? Jeremias 32:27 "Eis que eu sou o Senhor, o Deus de toda a carne: há alguma coisa demasiado difícil para mim? Mateus 19:26" Mas Jesus, olhando para eles e disse-lhes: Aos homens é isso impossível , mas a Deus tudo é possível. "

vs

Juízes 01:19 "E o Senhor foicom Judá, e ele expulsou os habitantes da montanha, mas não pôde desapossar os habitantes do vale, porquanto tinham carros de ferro. "Deus vive na luz? I Timóteo 6:15-16". . . Rei dos reis e Senhor dos senhores; Quem apenas imortalidade habitação, tendo em conta que nenhum homem pode se aproximar. . . "Tiago 1:17". . . o Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação. "João 12:35" Então Jesus disse-lhes. . . ele que na escuridão não sabe anda ele vai murchar. "Jó 18:18" Ele [o] ímpios serão expulsos de luz nas trevas, e expulsos do mundo. "Daniel 2:22" Ele [Deus sabe] que é na escuridão, e mora a luz com ele. "Veja também Salmos 143:3, II Corintios 6:14, e Hebreus 12:18-22.

vs

I Reis 8:12 "Então disse Salomão: O Senhor disse que habitaria na escuridão." (Repetido em II Crônicas 6:01) II Samuel 22:12 "E ele fez pavilhões ronda trevas sobre ele, águas escuras e espessas nuvens dos céus." Salmo 18:11 "Ele fez das trevas o seu lugar secreto; seu pavilhão sobre ele se tornasse em águas escuras e espessas nuvens dos céus. "Salmo 97:1-2" O Senhor reina, regozije-se a terra... nuvens e escuridão estão ao redor dele. "Será que Deus aceita o sacrifício humano? Deuteronômio 00:31 "Tu não fazê-lo ao Senhor teu Deus: para cada abominação ao Senhor, que ele odeia, fizeram eles a seus deuses, pois até mesmo seus filhos e suas filhas queimaram no fogo aos seus deuses."

vs

Gênesis 22:2 "E disse: Toma agora o teu filho, teu único filho Isaac, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre um dos montes que eu te direi dos. "Êxodo 22:29" Não farás para o atraso para oferecer o primeiro dos teus frutos maduros, e os teus licores, o primogênito de teus filhos tu dar-me. "Juízes 11:30-39" E Jefté fez um voto ao SENHOR, e disse: Se tu não sem entregar os filhos de Amom nas minhas mãos, então será que tudo o que sai da porta da minha casa para me encontrar, quando eu voltar em paz, os filhos de Ammon, certamente será do Senhor, e eu vou oferecê-lo para um holocausto. Assim Jefté passou aos filhos de Amom... eo Senhor os entregou em suas mãos.... E Jefté chegou a Mizpá, à sua casa, e eis que sua filha lhe saiu ao encontro com adufes e com danças... E aconteceu que, ao final de dois meses, que ela voltou para seu pai, que fez com ela de acordo com seu voto, que ele prometeu. "II Samuel 21:8-14" Mas o rei [Davi] tomou os dois filhos de Rispa... e os cinco filhos de Mical... e ele os entregou nas mãos dos gibeonitas, e os enforcaram no monte, perante o Senhor, e todos os sete caíram juntos, e foram condenados à morte no dia da colheita... E depois disto Deus se aplacou para com a terra. "Hebreus 10:10-12... nós somos santificados pela oblação do corpo de Jesus Cristo... Mas este homem, após ele ter oferecido um sacrifício pelos pecados para sempre, sentou-se na mão direita de Deus ". I Coríntios 5:7"... Pelo mesmo Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós. "Quem foi o pai de José? Mateus 1:16" E Jacó gerou José, esposo de Maria, da qual nasceu Jesus ".

vs

Lucas 3:23 "E Jesus começou a ser cerca de trinta anos de idade, sendo (como se supunha) filho de José, que era filho de Heli".

 

Retirado de: http://www.experienceproject.com/l/pt/s/historias/A-B%C3%ADblia-%C3%89-Uma-Merda-%28Como-Um-Guia-Para-A-Salva%C3%A7%C3%A3o%29/66532


comentar
publicado por evangelicosfalsosprofetas, em 25.08.10 às 01:15link do post | favorito

 

       Existem hoje no mundo milhares de igrejas cristãs diferentes com cada uma com algum tipo de doutrina rejeitada por outras. Mesmo a Igreja Católica está hoje bem dividida. Ela até fala na sua unidade na diversidade. Tudo isso tem por causa a fragilidade de doutrinas mitológicas, incompatíveis com a razão e com a própria Bíblia, e que só foram mantidas pela força. E hoje, as doutrinas podem ser expostas, mas não impostas pela força e a coação. Cada um crê no que acha que é a verdade, embora muitos fiéis não pensem, mas deixam que seus líderes religiosos pensem por eles.

       Os teólogos estudam a Bíblia sob a ótica das doutrinas polêmicas, as quais se tornaram dogmas exatamente porque são polêmicas. E ai de quem as negasse no passado! Os dogmas têm mais valor para os teólogos, mesmo que eles sejam contrários à Bíblia. E as doutrinas que já eram controvertidas no passado, com a evolução cultural do mundo, hoje elas ainda são mais polêmicas. E o resultado disso tudo é o enfraquecimento da fé, a qual já não serve mais de freio para manter o fiel no bom caminho. Na sua maioria, os fiéis se dizem católicos ou evangélicos por conveniência, pois no fundo não cristãos. Na Índia, que não é de civilização cristã, há um assassinato, por ano, para 100.000 habitantes. No Brasil, que se diz cristão, para 100.000 habitantes há 50 assassinatos por ano. Isso nos demonstra que há mesmo algo errado no cristianismo! De que valem as práticas religiosas nas igrejas e nos templos? Os cristãos do cristianismo primitivo, no qual não havia certas doutrinas e rituais que existem hoje, até morriam por suas doutrinas ainda puras, ou seja, sem as complicações doutrinárias, teológicas e mitológicas surgidas a partir do 4º século.

        E até a Bíblia se tornou vítima das novas doutrinas, pois ela foi-lhes adaptada e passou a ser interpretada de acordo com elas. E essas doutrinas, hoje insustentáveis, sempre prejudicaram o cristianismo, fazendo dos cristãos fiéis de pouca fé, quando não ateus. É preciso que alguém tenha a coragem de dizer isso. E essa é a razão de eu fazê-lo.

       Está mais do que provado que a Bíblia tem erros. E nós não podemos atribuí-los a Deus que não erra, pois Ele é infalível. Logo os erros bíblicos são dos espíritos humanos, sejam eles encarnados ou desencarnados. Podemos, pois, dizer que a Bíblia é a palavra de Deus, mas não literalmente como muitos pensam. Ela é a palavra de Deus no sentido de que ela contém mensagens de espíritos (anjos), que nos são enviados através de médiuns ou profetas do tipo nabi. “Não são todos eles espíritos ministradores enviados para serviço, a favor dos que hão de herdar a salvação?” (Hebreus 1,14).

       Vamos ver um exemplo de erro bíblico, que não pode ser atribuído a Deus. Davi recebeu uma ordem de Deus para fazer o censo de Israel e Judá. (2 Samuel 24,1). Mas essa mesma ordem, nesse mesmo episódio, foi dada por satanás. (1 Crônicas 21,1).

       Apontar erros na Bíblia não é afirmar que Deus erra. Quem ensina que Deus erra é justamente aquele que insiste em sustentar que tudo nela é a palavra de Deus. Muitos estudiosos da Bíblia vêem erros nela, mas não têm coragem de apontá-los, pois estudam-na com viseiras doutrinárias, sendo uma delas a de que tudo nela, até uma vírgula, é de Deus. Esse estudo bíblico é simplório e de pobres cegos de Bíblia guiando outros pobres cegos bíblicos!

       PS:

       Agradeço os comentários de Edson F. de Deus, de Sabará (MG).

 

      Obs.: Esta coluna, de José Reis Chaves, às segundas-feiras, no diário de Belo Horizonte, O TEMPO,  pode ser lida também no site www.otempo.com.br   Clicar colunas.   Ela está liberada para publicações. Ficarei grato pela citação nelas de meus livros: “A Face Oculta das Religiões”, “A Reencarnação na Bíblia e na Ciência” Ed. EBM (SP)  e “A Bíblia e o Espiritismo”, Ed. Espaço Literarium, Belo Horizonte (MG) –  www.literarium.com.br -  e meu e-mail: jreischaves@gmail.com Os livros de José Reis Chaves podem ser adquiridos também pelo e-mail:  contato@editorachicoxavier.com.br    e o telefone: 0800-283-7147.

        Outros colunistas de O TEMPO: Miriam Leitão, Vittorio Medioli, Arnaldo Jabor, Dora Kramer, Laura Medioli, João Batista Libânio (teólogo Jesuíta), Elio Gaspari, Xico Sá, Luiz Carlos Bernardes, Torquato (USP), Luiz Aureliano, Gilda de Castro, Manoel Lobato, Murilo Badaró (Presidente da Academia Mineira de Letras), Robson Damasceno Reis, Cônego José Geraldo Vidigal de Carvalho, Teodomiro Braga, Ana Elizabeth Diniz, Trigueirinho, Leonardo Boff, José Dirceu (ex-ministro do Lula) e outros.

 

DEIXE SEU EMAIL PARA RESPOSTA NO COMENTÁRIOS

 


comentar
publicado por evangelicosfalsosprofetas, em 24.08.10 às 07:16link do post | favorito


Foram terríveis os prejuízos causados pelos tradutores protestantes em todas as suas tentativas de traduzir as Sagradas Escrituras. A incompetência, aliada muitas vezes a má fé, causou danos irreparáveis aos ensinamentos de Jesus Cristo na terra contribuindo decisivamente para a dispersão de seu rebanho. Acompanhe abaixo cada tradutor protestante e seu atentado às Escrituras:Lutero

 

Na Alemanha, já havia 30 diferentes edições católicas alemãs da Bíblia*, mas, Lutero, fundando o protestantismo, resolveu fazer sua tradução e adulterou Romanos 1,17, onde diz que “o justo viverá pela fé”. Ele acrescentou a palavra alemã “allein” que significa “somente”, e passou a pregar que o justo “viverá SOMENTE pela fé”. Foi o modo desonesto que ele achou para justificar sua nova religião do “Sola fide”. Ele mesmo confirmou esta adulteração, quando cheio de ódio disse: ”Se um papista lhe questionar sobre a palavra ‘somente’, diga-lhe isto: papistas e excrementos são a mesma coisa. Quem não aceitar a minha tradução, que se vá. O demônio agradecerá por esta censura sem minha permissão.” (Amic. Discussion, 1, 127,’The Facts About Luther,’ O’Hare, TAN Books, 1987, p. 201). – * (Imperial Encyclopedia and Dictionary © 1904 Vol. 4, Hanry G. Allen & Company), (Holman Bible Dictionary © 1991).

A carta de Tiago que condena o “Somente a fé” em (2,20), (2,14-16) e (2,21-22), foi assim tratada pelo dito “reformador”: ”A carta de Tiago é uma carta de palha, pois não contém nada de evangélico.” (‘Preface to the New Testament,’ ed. Dillenberger, p. 19.).

Hoje, discretamente retiraram o “somente” das traduções protestantes posteriores, mas a doutrina de Lutero (sola fide) é a essência do protestantismo. Continua o jeito fácil de salvar-se, “somente” tendo fé, como determinou Lutero: “Seja um pecador e peque fortemente, mas creia e se alegre em Cristo mais fortemente ainda…Se estamos aqui (neste mundo) devemos pecar…Pecado algum nos separará do Cordeiro, mesmo praticando fornicação e assassinatos milhares de vezes ao dia”. (Carta a Melanchthon, 1 de agosto de 1521 – American Edition, Luther’s Works, vol. 48, pp. 281-82, editado por H. Lehmann, Fortress, 1963).

 

No seu comentário deixe seu email.


comentar
publicado por evangelicosfalsosprofetas, em 23.08.10 às 04:45link do post | favorito

TEXTO: Colossenses 2.13-22 (versão King James). INTRODUÇÃO: No mundo e no contexto em que nós vivemos temos que responder a seguinte pergunta: O que é ser cristão? Hoje, mais do que nunca, existe uma série de confusões quando se quer responder a tal questão. Cada um tem um conceito do que é ser cristão. Cada igreja tem suas normas e conceitos, as vezes indefinidos. Não há um consenso no que se refere a ser cristão hoje.


ALGUMAS COISAS QUE AS IGREJAS TÊM ENSINADO:

Parafraseando Lula, nunca na história deste país TANTAS HERESIAS FORAM ACEITAS NAS IGREJAS CRISTÃS. É óleo ungido, água consagrada; urina nos cantos da cidade, sim, alguns pastores saem nas ruas, nos bairros e até na cidade inteira urinando nas ruas e esquinas para com isso, pensam, bloquear o mal, demarcar o território como fazem alguns animais, daí o Diabo não poderá agir naquele território, porque depois do “xixi santo” ele fica impedido de entrar e agir. 


Outros viajam do Oiapoque ao Chuí de avião para enterrar Bíblias em pontos estratégicos, para assim envolver o Brasil numa suposta “proteção espiritual”; gente que: ruge, pia, uiva – baseando-se no texto do apocalipse sobre os quatro seres; passa por "corredores" de sal, grutas de "milagres"; mapeamentos; compram "chaves" – é chave disso e daquilo, chave pra casar – ai depois que casa tranca o marido dentro e joga a chave fora –, caneta dos bons negócios; sal grosso – pra mim sal grosso é excelente, mas pra fazer churrasco.

Agora existe também o SEQUESTRO. Sim porque não basta mais dar "sete voltas" a pé em algum "ponto estratégico". Bom mesmo é dar sete voltas de avião. Já imaginou se a moda pega? Teve quem fizesse no Brasil, mas pagando e de helicóptero. Colocou um barriu de óleo e saiu despejando “óleo santo” na cidade do Rio de Janeiro para acabar com a prostituição e todo o mal. 

O sequestro do avião que aconteceu nessa última quarta, dia 09/09/09 no México foi feito por um pastor boliviano que disse que estava em uma "missão divina". De acordo com o Terra México, o sequestrador era um pastor boliviano que exigiu que o piloto desse sete voltas ao redor do aeroporto da Cidade do México. Disse que teve uma "revelação divina" e que as manobras evitariam um terremoto na região. 

Duas frases do reformador Lutero soam como uma resposta bíblica, piedosa e contemporânea aos devaneios do evangelicalismo moderno: (1) "Qualquer ensinamento que não se enquadre nas Escrituras deve ser rejeitado, mesmo que faça chover milagres todos os dias"; e (2) "Fiz uma aliança com Deus: que Ele não me mande visões, nem sonhos, nem mesmo anjos. Estou satisfeito com o dom das Escrituras Sagradas, que me dão instrução abundante e tudo o que preciso conhecer tanto para esta vida quanto para o que há de vir".

E ai muita gente fica se perguntando: será que todo crente é maluco assim? Ou, será que ser cristão é ser assim meio alienado? Qual a verdadeira identidade do cristão? Identidade é o conjunto de características próprias e exclusivas de uma pessoa. A Identidade cristã, portanto, é o conjunto de características que um cristão deve ter. Vamos ver um pequeno resumo da história da igreja para podermos identificar o que é ser cristão.

 

“RESUMO NA HISTÓRIA”:

(1) O termo “cristão” foi usado pela primeira vez para designar os seguidores de Cristo em Antioquia, conforme Atos 11.26 e aparece apenas duas outras vezes em toda a Bíblia (At 26.28 e 1Pe 4.16). Não tem nada a ver com ser pequenos cristos, como querem alguns hoje. Não somos pequenos cristos. Essa terminologia é nova, tem início entre os pregadores da prosperidade como Essek Kenyon e Kenneth Hagin e seus filhotes. Isso para dar a idéia de que temos poderes de criar as coisas com a nossa palavra falada. Mas ficou no imaginário dos crentes modernos a idéia de que somos pequenos cristos. Isso é um engano que não condiz com as Escrituras. Em nenhum lugar existe a declaração de que cristão significa pequenos cristos. A palavra grega para cristão significa seguidor de Cristo. Ele, portanto, é a pessoa central e não nós.

(2) Depois da cristianização feita por Constantino, ser cristão significava: Mudar de religião, não necessariamente mudar de natureza. Ou seja, os pagãos apenas colocavam nomes cristãos em seus deuses e continuavam adorando num paganismo disfarçado de cristianismo. Isso acontece muito hoje, principalmente no sincretismo brasileiro. 

(3) Na Idade Média, ser cristão, dizia-se, era um processo complexo, dirigido aos adultos, que incluía o anúncio da fé, a audição da palavra de Deus, a participação na vida da comunidade, o “exercício” da conversão, o acompanhamento de “padrinhos”, a instrução na doutrina da Igreja e a celebração de ritos iniciáticos culminando com o Batismo, a Eucaristia e a Unção do Crisma. Em suma, ser cristão era ser da Igreja Católica. Quem não fizesse parte da Igreja Católica não poderia ser chamado de cristão. A instituição ganhou o parâmetro de porta da graça, no entanto, virou porta da desgraça.

(4) Depois veio a Reforma Protestante. Para os reformadores ser cristão era crer na justificação pela fé somente, independente das obras. E ai ficava-se livre de toda e qualquer influência pagã. Não mais se adorava santos, nem amuletos, ou qualquer objeto supostamente abençoador. Buscava-se balizar-se somente na Palavra. Depois, passando pelo movimento puritano, ainda mais radical. Onde se tirou certas coisas que tinha sido incorporado a Igreja Reformada como certos ritos e modificando radicalmente a liturgia. Rompendo definitivamente com o Estado, onde defendia-se que se deveria fazer separação entre religião e política – pelo menos uma parte deles pensavam assim.

(5) Passando pelo movimento avivalista do século XVIII, com grandes homens de Deus como Wesley, Whifield e outros, chegamos ao século 19. Especificamente no Brasil, onde em meados de 1855 Robert Kalley chega a nossa pátria para começar um trabalho congregacional pioneiro. Daí surge a Igreja Congregacional, vindo depois os presbiterianos, batistas e outras denominações chamadas históricas. Nesse período, ser cristão era, geralmente, frequentar uma igreja tradicional. Onde a liturgia era mais rígida, não se podia, por exemplo, bater palmas no culto. 

Depois, em meados de 1910, começam a surgir outras denominações em solo brasileiro oriundos do movimento pentecostal, como a Assembleia de Deus, Deus é Amor, Quadrangular etc. Com o movimento pentecostal começou uma nova época dentro das igrejas. Houve mais abertura para o extraordinário. Para o agir mais livre, vamos dizer assim, do Espírito Santo. Isso apenas fazendo uma constatação histórica resumida. 

Na década de 60 começou-se a ter várias divisões por causa da discussão da contemporaneidade dos dons ou não nos dias de hoje. Nesse período foi quando surgiu um racha na União de Igrejas Congregacionais do Brasil, de onde saiu a Aliança das Igrejas Congregacionais do Brasil. A primeira, mais rígida liturgicamente. A segunda, mais livre liturgicamente e crendo na manifestação dos dons para a igreja – de onde eu faço parte.

O grande problema começou a surgir depois da década de 80, onde novas igrejas começaram a ter destaque no cenário brasileiro. As chamadas igrejas neo-pentecostais, como a Universal do Reino de Deus, a Sara Nossa Terra, a Renascer, dentre outras. Daí começou-se a mudar o discurso. Não mais se pregava sobre as bênçãos futuras, na glória. Agora é o tempo de receber tudo de Deus. Inclusive uma unção financeira especial. Em suma, Deus está interessado mais em nosso bolso do que em nossa alma. Onde, em algumas, o velho misticismo medieval voltou de forma disfarçada de fé. Daí se deu mais valor as experiências do que o que a Bíblia diz. 

(6) Então, hoje, o que é ser cristão? Para muitos é:

(a)  Pertencer a uma denominação evangélica.

Algumas pessoas acham que ser cristão é pertencer a alguma agremiação que lhes garanta a vida eterna. Alguns dizem: eu vou ser congregacional, ou batista, ou qualquer denominação, pra ir para o céu. Outros dizem: eu sou da Igreja Assembleia de Deus, a única que vai pro céu. Ou então, diz como um amigo que estudou comigo no seminário: nós da Assembleia de Deus vamos subir primeiro, vocês da congregacional, se subirem, vai ser pela grande misericórdia de Deus. Ora, todos vão subir pela grande misericórdia de Deus. Até mesmo os assembleianos. Veja como é grande a misericórdia de Deus. 

(b) Ser batizado e participar da Ceia.

Outros acham que praticar certos ritos denominacionais lhes garantirá o Reino de Deus. Alguns continuam brigando por causa da quantidade de água necessário para o batismo correto. Se o batismo é por imersão ou aspersão. Molhando um pouquinho ou enterrando o individuo dentro d’água. Alguns ficam angustiados porque foram batizados de um modo e acham que talvez do outro fosse o correto. Como se a salvação dependesse da quantidade de água que se coloca na pessoa. Ou, pensam alguns, que quando chegarem no céu Jesus vai olhar pra eles e dizer: “meu filho, me desculpe. Você não pode entrar porque faltou molhar um pouquinho o seu cabelo. Não vai dar pra recebê-lo aqui, você não foi afogado direito”. Pelo amor de Deus, ainda tem gente que pensa assim nas igrejas. Basta lembrar-se do ladrão da cruz. Não teve tempo pra ser batizado, nem mesmo por aspersão. Se isso fosse essencial pra salvação Jesus teria dito: “ei soldado, pegue, por favor, um pouquinho de água e derrame aqui na cabeça desse indivíduo, ele acabou de virar crente”. Não. Jesus lhe disse: “Hoje mesmo estarás comigo no paraíso”. 

Outros pensam que por não estarem participando da Ceia do Senhor em alguma igreja evangélica não vão entrar no céu. Alguns se angustiam porque não podem ser batizados por razões até banais. E até pensam: “será que eu vou pro céu sem participar da Ceia?”. Alguns que não participam da Ceia aqui na terra irão participar da Ceia celestial e outros que participam da Ceia aqui na terra, nunca irão participar nas mansões celestiais. Jesus vai dizer-lhes: “nunca vos conheci, apartai-vos de mim”. 


(c) Cumprir com as regras de sua igreja local.

Existem alguns que pensam também que se cumprirem todas as regras de sua igreja, isso lhes garantirão a entrada no Reino de Deus. Pensam mais ou menos assim: “Glória a Deus, já cumpri 378 mandamentos no regimento interno da igreja, só me falta cumprir os 618 do estatuto”. Ou então é aquele tipo de pessoa que obedece cegamente os ditames do seu “apóstolo” abençoado e abençoador. Eles dizem: “vou obedecer tudo o que meu apóstolo disser, daí não tem erro de entrar no céu”. Ou, “Aquilo que meu bispo pensar – aliás só o fato de pensarem já é uma grande vitória – e falar vou obedecer sem questionar”. Alguns chegam até a dizer: “Não importa se o que ele diz é bíblico ou não. O importante é que eu fui abençoado e vejo que ele é uma pessoa usada por Deus”.

Já outros querem ir para o céu por obedecerem a Lei. Esforçam-se para cumprir todos os mandamentos da antiga Aliança. Esquecem-se do que disse o apóstolo Paulo: “Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé, independentemente das obras da lei” – Romanos 3.28. Ou ainda: “E é evidente que, pela lei, ninguém é justificado diante de Deus, porque o justo viverá pela fé” – Gálatas 3.11. Não é fazendo alguma coisa que somos salvos, mas crendo naquilo que Cristo já fez por nós na cruz do calvário. 


(d) Dar o dízimo e ofertar até quando não puder mais.

Já têm outros que acham que se der dinheiro poderão comprar a salvação. “Se eu der o dízimo – pensam – isso vai quebrantar o coração de Deus e ele vai ver que eu sou tão bonzinho que mereço a salvação”. Dão tudo e ficam com o nada. E quando se vai reclamar com o líder este lhe diz: a culpa é sua porque não teve fé. A culpa é dele mesmo de ser tão tolo. Ai, “dizimam” e são dizimados pelos aproveitadores de plantão. Ao pensarem que estão comprando o favor de Deus de fato estão aborrecendo ao Senhor. Salvação não se compra, é pela Graça. Somente pela Graça – Ef 2. 


(e) Ser uma pessoa alienada do mundo e cheia de preconceitos sob o desculpa de ser espiritual e não se misturar na massa do mundo.


O discurso de grande parte da Igreja evangélica durante muito tempo era que o crente tem que deixar as vaidades para poder ir para o céu. Daí se pregava que a mulher, principalmente, não poderia usar batom, calça, brincos e até perfume, pois isso era do “mundo”. E ai criou-se um tipo de cristão alienado, onde se afastava de todos os seus amigos, das coisas que gostava, de recreação, criava-se um aspecto de “santo-do-pau-oco” e fariseu gospel. O camarada agora não podia mais rir, tinha que ser austero. Só se usava roupa “comportada” mesmo que a vida não o fosse. 

É o tipo de crente que era doido pra assistir TV e não podia porque a Igreja proibia, mas sempre que podia ia à casa do vizinho na hora da novela. Ou na casa do primo, no final da copa do mundo quando o Brasil estava jogando. Daí quando o Brasil fazia um gol ele dava aleluia por dentro com uma vontade enorme de gritar:

Gooooooooooooooooooooollllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllll.


Virava-se um fariseu evangélico, crente, protestante e chato. E se desse muito azar ainda virava pastor. Mas isso nunca foi e nem vai ser um cristão, na essência da Palavra. Jesus disse: “vós sóis o sal da terra”. Ora é o sal “da terra” não é de Marte. O sal tem que está na massa e não fora dela. Como ganhar os amigos se eles não aguentam mais sua chatice. Meu querido, um Jesus que faz isso com alguém nem eu quero. Só que Jesus nunca faz isso com ninguém, isso é obra da igreja evangélica e de sua má compreensão do que é o Evangelho da Graça de Deus. 


(f) É viver a vida de um ascetismo doentio e opressor, onde não se pode ter nem higiene pessoal nem prazer nessa vida.

Durante muitos anos esse foi o discurso da Igreja evangélica como um todo. Ser cristão é viver um ascetismo doentio e tão opressor como as leis do talibã. Algumas mulheres não tratam nem de sua higiene pessoal. Não se depilam, não arrumam o cabelo e até algumas que não podem usar perfume. Ai começam a exalar, não o bom perfume de Cristo, mas o mau cheiro da religião. O texto de Colossenses 2.16-22 (basta lermos esses versos, mas todo o capítulo é extraordinário) é um antídoto contra a falsa religiosidade e o pseudo-evangelho que temos visto e ouvido nos meios de comunicação. Vejamos uma breve explanação do texto: 

v.16 “Portanto, ninguém tem o direito de vos julgar pelo que comeis, ou pelo que bebeis, ou ainda com relação a alguma festa religiosa, celebração das luas novas ou dos sábados”.  


Paulo adverte aos irmãos de Colossos, pois alguns estavam entrando na igreja a fim de atrapalhar o crescimento que eles estavam tendo. Bem como, se colocando como guias cegos entre eles, atrapalhando a mensagem do Evangelho de Cristo. Paulo diz que: “ninguém tem o direito de vos julgar”. Ou seja, a vida do cristão não deve ser balizada pelo que os outros dizem, sejam eles pastores, bispos ou apóstolos – a não ser que os que eles preguem estejam de acordo com a Palavra. A nossa conduta deve ser balizada pela Palavra apenas, pois Deus é quem nos julga. É preciso ter a mesma preocupação dos bereanos, que apesar de ser Paulo quem pregava, tiveram o cuidado de examinar em casa para saber se de fato o que o apóstolo pregava estava realmente de acordo com as Escrituras – Atos 17.11. Como as igrejas hoje precisam de bereanos. A maioria é crente ateniense – que andam atrás da última novidade – At 17.21.


O julgamento, nesse caso, era pelas coisas que se comiam ou se deixava de comer, ou com relação a alguma festa religiosa. Hoje ainda acontecem disputas como essas. Alguns cristãos comem de tudo, outros julgam que se deve abster-se de alguns alimentos. E o que Paulo diria? É só ler Romanos 14. Especialmente o verso 3 que diz: “Aquele que come de tudo não deve menosprezar o que não come, e quem não come de tudo não deve condenar quem come; pois Deus o aceitou”.


O que Paulo prega é que quem come de tudo não é mais pecador porque come e quem não come não é mais santo porque se abstêm. Simples assim. Jesus disse que o que entra pela boca do homem não o contamina e sim, o que sai da boca – Mt 15.11.


Aqui no nordeste, geralmente tem aqueles que dizem: “Não pode comer pamonha, porque é sacrificada ao ídolo”. Parece aquele humorista da Globo: pode, não pode. Não pode comer carne de porco porque quando Jesus expulsou os demônios do Gadareno eles foram pra manada de porcos – dizem alguns. Santa inocência. O judeu é que não podia comer certos alimentos e não os gentios. Não pode comer buchada porque tem sangue, dizem alguns, como juízes da vida alheia. E quando a alguma comemoração quase sempre existe a buchada com e sem sangue. A dos pecadores e a dos santos. A única coisa que Paulo nos adverte é que se o meu comer ou o meu beber escandalizar alguém é melhor que eu não faça. Pelo menos na frente dele – Rm 14.21. 


Outros querem trazer elementos do Antigo Testamento e introduzir nas igrejas hodiernas, como a Festa do Tabernáculo, o cordeiro pascal e outras coisas. Eles não entendem ainda o que diz o verso 17: “Esses rituais são apenas sombra do que haveria de vir; a realidade, todavia, encontra-se em Cristo”. Todo ritualismo da Antiga Aliança apontava para Cristo. Quando Cristo veio à realidade dispensa a sombra. Alguns querem viver na sombra da Lei e desprezam o sol da justiça. 


v. 18 “Não aceiteis que alguém seja árbitro contra vós, fingindo humildade ou culto a anjos, fundamentando-se em visões, ostentando a inútil arrogância do seu conhecimento carnal”. 


O v. 18 é bem esclarecedor. “Não aceiteis” diz Paulo que alguém seja o árbitro, aquele que decide por você como se deve viver. O que mais se vê hoje são árbitros da vida alheia. Pessoas supostamente espirituais querendo determinar a vida de outros. Não aceite em nome de Jesus que outra pessoa determine e guie a tua vida. Tenha a consciência da fé amadurecida pelo Evangelho e acabe com isso. Hoje existe até a “cobertura espiritual”. Ou seja, juízes que determinam se você deve orar, comprar, falar, agir, viver. Parece até que Paulo estava olhando para os dias hodiernos. Paulo eu não sei, mas o Espírito Santo que usou Paulo estava. Graças a Deus por esse versículo. Ninguém é a nossa cobertura a não ser Cristo Jesus nosso Salvador. 


Alguns fingiam até humildade para passarem por espirituais. Usavam até o argumento de serem os comandantes de anjos. Outros, se fundamentavam em visões (quantos fazem o mesmo hoje?). Por exemplo: alguém que tinha uma correntinha com a letra “C” que poderia ser de “Carla”, por exemplo, logo era vista como mundana. O “profeta” logo falaria: “Eis que estou tendo uma visão. Deus está me dizendo que essa letra C nessa correntinha é C de capeta, Deus tá mandando tirar”. Se fosse comigo eu diria: “Não é C de capeta não, é C de cristão de verdade. Agora estou vendo não um, mais dois C’s na sua testa, significando Crente Chato”. 


Paulo diz claramente: “Não aceitem”. Ninguém manda na sua vida, quer ele seja um apóstolo abençoador de lenço suado, ou bispo disfarçado de ovelha, mas por dentro é um lobo devorador. Não aceitem por que: “Trata-se, pois, de uma pessoa que não está unida à Cabeça, a partir da qual todo o Corpo, sustentado e unido por seus ligamentos e juntas, efetua o crescimento concedido por Deus” – v. 19.


vs. 20-21 “Considerando que morrestes com Cristo para as tradições humanas e a falsa religiosidade deste mundo, por que vos sujeitais ainda a tais ordenanças como se pertencêsseis a este sistema de valores? Não mais obedeçais a regras como estas: Não toques, não proves, não manuseies”.


Aqui, Paulo diz que existiam crentes que se deixavam levar pelo ascetismo doentio e opressor. Regras e mais regras eram impostas aqueles cristãos. A falsa religião vive disso: em escravizar as pessoas com normas do inferno. Dão uma lista de tantas proibições que seria mais fácil dizer o que se pode fazer – ai o crente fica sempre oprimido com medo de ter errado alguma coisa e ir para o inferno apesar de tanto esforço. Não entendem que Paulo disse em Romanos 8.1 “Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus”. Ou Gálatas 5.1 “Foi para a liberdade que Cristo nos libertou! Portanto, permaneceis firmes e não vos sujeiteis outra vez a um jugo de escravidão”. Quer ser escravo a vida toda? Siga os religiosos. Quer ser livre a vida toda? Siga a Cristo. 


v. 22-23 “Todas essas regras estão destinadas a desaparecer pelo uso, pois se baseiam em ordenanças e ensinos meramente humanos. Esses regulamentos têm, de fato, aparência de sabedoria, com sua pretensa religiosidade, falsa humildade e rígida disciplina para com o corpo, mas não têm valor algum para refrear as paixões da carne”. 


A regra de Paulo é simples: o que é do homem perece, mas o que é de Deus permanece para sempre. Apesar de aparentar espiritualidade se abster de determinadas coisas para nada valem no tocante a nossa natureza pecaminosa. Não adianta ter vestes longas se a língua também o é. Não adianta se vestir de brando se a alma for negra. Não adianta brilhar com a purpurina religiosa se o coração vive em trevas. Muitos abortos eram praticados em mosteiros. E muita prostituição é praticada em Igrejas asceticamente farisaicas.


O QUE É, ENTÃO, SER CRISTÃO?


O termo cristão identifica alguém que pertencia, parecia – no modo de viver e falar, ou seguia a Cristo e se originou na igreja ou provavelmente entre os incrédulos como um apelido depreciativo. O fato é que parecer com Cristo na doutrina e na prática é a identidade de quem é seu discípulo. 


(1) O cristão é aquele que encarnar as bem-aventuranças.

É ser pobre em espírito, reconhecendo que nada temos para oferecer a Deus em troca de nossa salvação, porque deles é o reino dos céus. É ser aquele que chora pelos seus pecados, porque serão consolados. É ser manso, porque herdará a terra, ou viverá na terra em plena paz e no futuro reinará com Cristo. É ter fome e sede de justiça, sabendo e confiando na justiça de Cristo, porque serão fartos. É ser misericordioso, ou seja, sentir a miséria do outro em seu próprio coração, porque alcançarão misericórdia, pois Deus sentiu nossa miséria em Seu próprio coração a ponto de dar Seu único filho por nós. É ser limpo de coração, sabendo que mesmo que sejamos infiéis Ele permanece fiel, porque verão a Deus, na sua vida diária e no futuro, na Glória verão a Deus em Cristo. É ser um promotor da paz por onde anda, e não um gladiador nas reuniões da igreja, porque serão chamados filhos de Deus. É ser perseguido por causa da justiça, não pelos seus erros e maneira errada de viver entre os seres humanos, porque deles é o reino dos céus. Afinal, quando amamos a Cristo acima de tudo, até mesmo da religião. “por minha causa”, disse Jesus, “vos injuriarem, e vos perseguirem, e, mentindo, disserem todo mal contra vós”. Portanto, alegrai-vos. Assim se conhece um cristão de verdade – Mt 5.3-12.


(2) O cristão é aquele que produz o fruto do Espírito no ser e pros outros.


Conhece-se o cristão, não pelos títulos que apresenta, mas pelo amor que vive; pela alegria em meio as tribulações e angústias; pela paz que sente, mesmo sua vid estando em guerra; pela longanimidade para com o próximo; pela benignidade para com todos, especialmente os pecadores; pela bondade de alma que não conhece preconceitos; pela fidelidade a Deus, mesmo reconhecendo que nunca será fiel em plenitude; pela mansidão nos momentos de ira e pelo domínio próprio. “Contra estas coisas não há lei” – Gl 5.22-23.

(3) Em suma, o cristão é aquele que ama como Jesus amou.

Sem preconceitos de qualquer espécie; Pensa como Jesus pensou – isso é ter a mente de Cristo; Sente o que Jesus sentiu – misericórdia com justiça e graça; Vive como Jesus viveu – só se vive como Jesus se for de Jesus. A grande pergunta que devemos fazer em todas as circunstâncias de nossas vidas é esta: o que faria Jesus em meu lugar?

Ou você vive o Evangelho como deve ser ou então você está brincando com Deus e pensa que é cristão. Agostinho disse certa vez:"Se, no Evangelho, você crê no que quer e ignora o que não quer, você não crê no Evangelho, mas em si mesmo”.


SOLI DEO GLORIA NUNC ET SEMPER


*O Pr. Antônio Pereira da Costa Júnior nasceu em Esperança – PB. Co-Pastor da 1ª. Igreja Congregacional em Santa Cruz do Capibaribe – PE. Faz parte do quadro de ministros da Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil. Palestrante e pesquisador na área de Apologética em geral, Técnico Agrícola pela UEPB e Bacharel em Teologia pelo STEC (Seminário Teológico Evangélico Congregacional). E fez um curso de Apologética por extensão pelo ICP (Instituto Cristão de Pesquisas). Mestrando em Teologia e História pelo SPN – Seminário Presbiteriano do Norte (Recife). E-mail: juniorapologista@yahoo.com.brConheça outros textos nos Blog: pastorjunior.blogspot.com

http://www.oartigo.com/index.php?/religiao/o-que-e-ser-cristao.html

 

 

ESCREVA SEU EMAIL PARA RESPOSTA

 

 

 


mais sobre mim
Novembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


pesquisar
 
blogs SAPO
subscrever feeds