"CONTESTAR AS OPINIÕES ERRÔNEAS QUE CONTRA NÓS ESPÍRITAS SÃO APRESENTADAS; REBATER AS CALÚNIAS; APONTAR AS MENTIRAS; DESMASCARAR A HIPOCRISIA; TAL DEVE SER O AFÃ DE TODO ESPÍRITA SINCERO, CÔNSCIO DOS DEVERES QUE LHES SÃO CONFIADOS”.
comentar
publicado por evangelicosfalsosprofetas, em 16.03.10 às 07:51link do post | favorito



Estou cansado!
Ricardo Gondim

Cansei! Entendo que o mundo evangélico não admite que um pastor confesse o seu cansaço. Conheço as várias passagens da Bíblia que prometem restaurar os trôpegos. Compreendo que o profeta Isaías ensina que Deus restaura as forças do que não tem nenhum vigor. Também estou informado de que Jesus dá alívio para os cansados. Por isso, já me preparo para as censuras dos que se escandalizarem com a minha confissão e me considerarem um derrotista. Contudo, não consigo dissimular: eu me acho exausto.

Não, não me afadiguei com Deus ou com minha vocação. Continuo entusiasmado pelo que faço; amo o meu Deus, bem como minha família e amigos. Permaneço esperançoso. Minha fadiga nasce de outras fontes.

Canso com o discurso repetitivo e absurdo dos que mercadejam a Palavra de Deus. Já não agüento mais que se usem versículos tirados do Antigo Testamento e que se aplicavam a Israel para vender ilusões aos que lotam as igrejas em busca de alívio. Essa possibilidade mágica de reverter uma realidade cruel me deixa arrasado porque sei que é uma propaganda enganosa. Cansei com os programas de rádio em que os pastores não anunciam mais os conteúdos do evangelho; gastam o tempo alardeando as virtudes de suas próprias instituições. Causa tédio tomar conhecimento das infinitas campanhas e correntes de oração; todas visando exclusivamente encher os seus templos. Considero os amuletos evangélicos horríveis. Cansei de ter de explicar que há uma diferença brutal entre a fé bíblica e as crendices supersticiosas.

Canso com a leitura simplista que algumas correntes evangélicas fazem da realidade. Sinto-me triste quando percebo que a injustiça social é vista como uma conspiração satânica, e não como fruto de uma construção social perversa. Não consideram os séculos de preconceitos nem que existe uma economia perversa privilegiando as elites há séculos. Não agüento mais cultos de amarrar demônios ou de desfazer as maldições que pairam sobre o Brasil e o mundo.

Canso com a repetição enfadonha das teologias sem criatividade nem riqueza poética. Sinto pena dos teólogos que se contentam em reproduzir o que outros escreveram há séculos. Presos às molduras de suas escolas teológicas, não conseguem admitir que haja outros ângulos de leitura das Escrituras. Convivem com uma teologia pronta. Não enxergam sua pobreza porque acreditam que basta aprofundarem um conhecimento “científico” da Bíblia e desvendarão os mistérios de Deus. A aridez fundamentalista exaure as minhas forças.

Canso com os estereótipos pentecostais. Como é doloroso observá-los: sem uma visitação nova do Espírito Santo, buscam criar ambientes espirituais com gritos e manifestações emocionais. Não há nada mais desolador que um culto pentecostal com uma coreografia preservada, mas sem vitalidade espiritual. Cansei, inclusive, de ouvir piadas contadas pelos próprios pentecostais sobre os dons espirituais.

Cansei de ouvir relatos sobre evangelistas estrangeiros que vêm ao Brasil para soprar sobre as multidões. Fico abatido com eles porque sei que provocam que as pessoas “caiam sob o poder de Deus” para tirar fotografias ou gravar os acontecimentos e depois levantar fortunas em seus países de origem.

Canso com as perguntas que me fazem sobre a conduta cristã e o legalismo. Recebo todos os dias várias mensagens eletrônicas de gente me perguntando se pode beber vinho, usar “piercing”, fazer tatuagem, se tratar com acupuntura etc., etc. A lista é enorme e parece inexaurível. Canso com essa mentalidade pequena, que não sai das questiúnculas, que não concebe um exercício religioso mais nobre; que não pensa em grandes temas. Canso com gente que precisa de cabrestos, que não sabe ser livre e não consegue caminhar com princípios. Acho intolerável conviver com aqueles que se acomodam com uma existência sob o domínio da lei e não do amor.

Canso com os livros evangélicos traduzidos para o português. Não tanto pelas traduções mal feitas, tampouco pelos exemplos tirados do golfe ou do basebol, que nada têm a ver com a nossa realidade. Canso com os pacotes prontos e com o pragmatismo. Já não agüento mais livros com dez leis ou vinte e um passos para qualquer coisa. Não consigo entender como uma igreja tão vibrante como a brasileira precisa copiar os exemplos lá do norte, onde a abundância é tanta que os profetas denunciam o pecado da complacência entre os crentes. Cansei de ter de opinar se concordo ou não com um novo modelo de crescimento de igreja copiado e que vem sendo adotado no Brasil.

Canso com a falta de beleza artística dos evangélicos. Há pouco compareci a um show de música evangélica só para sair arrasado. A musicalidade era medíocre, a poesia sofrível e, pior, percebia-se o interesse comercial por trás do evento. Quão diferente do dia em que me sentei na Sala São Paulo para ouvir a música que Johann Sebastian Bach (1685-1750) compôs sobre os últimos capítulos do Evangelho de São João. Sob a batuta do maestro, subimos o Gólgota. A sala se encheu de um encanto mágico já nos primeiros acordes; fechei os olhos e me senti em um templo. O maestro era um sacerdote e nós, a platéia, uma assembléia de adoradores. Não consegui conter minhas lágrimas nos movimentos dos violinos, dos oboés e das trompas. Aquela beleza não era deste mundo. Envoltos em mistério, transcendíamos a mecânica da vida e nos transportávamos para onde Deus habita. Minhas lágrimas naquele momento também vinham com pesar pelo distanciamento estético da atual cultura evangélica, contente com tão pouca beleza.

Canso de explicar que quase todos os pastores são gananciosos e que as igrejas  existem para enriquecer sua liderança. Cansei de ter de dar satisfações todas as vezes que faço qualquer negócio em nome da igreja. Tenho de provar que nossa igreja não tem título protestado em cartório, que não é rica, e que vivemos com um orçamento apertado. Não há nada mais desgastante do que ser obrigado a explanar para parentes ou amigos não evangélicos que aquele último escândalo do jornal não representa a grande maioria dos pastores que vivem dignamente.

Canso com as vaidades religiosas. É fatigante observar os líderes que adoram cargos, posições e títulos. Desdenho os conchavos políticos que possibilitam eleições para os altos escalões denominacionais. Cansei com as vaidades acadêmicas e com os mestrados e doutorados que apenas enriquecem os currículos e geram uma soberba tola. Não suporto ouvir que mais um se auto-intitulou apóstolo.

Sei que estou cansado, entretanto, não permitirei que o meu cansaço me torne um cínico. Decidi lutar para não atrofiar o meu coração.

Por isso, opto por não participar de uma máquina religiosa que fabrica ícones. Não brigarei pelos primeiros lugares nas festas solenes patrocinadas por gente importante. Jamais oferecerei meu nome para compor a lista dos preletores de qualquer conferência. Abro mão de querer adornar meu nome com títulos de qualquer espécie. Não desejo ganhar aplausos de auditórios famosos.

Buscarei o convívio dos pequenos grupos, priorizarei fazer minhas refeições com os amigos mais queridos. Meu refúgio será ao lado de pessoas simples, pois quero aprender a valorizar os momentos despretensiosos da vida. Lerei mais poesia para entender a alma humana, mais romances para continuar sonhando e muita boa música para tornar a vida mais bonita. Desejo meditar outras vezes diante do pôr-do-sol para, em silêncio, agradecer a Deus por sua fidelidade. Quero voltar a orar no secreto do meu quarto e a ler as Escrituras como uma carta de amor de meu Pai.

Pode ser que outros estejam tão cansados quanto eu. Se é o seu caso, convido-o então a mudar a sua agenda; romper com as estruturas religiosas que sugam suas energias; voltar ao primeiro amor. Jesus afirmou que não adianta ganhar o mundo inteiro e perder a alma. Ainda há tempo de salvar a nossa.

Soli Deo Gloria.

 


comentar
publicado por evangelicosfalsosprofetas, em 16.03.10 às 07:35link do post | favorito

Washington, 13 Nov (Lusa) - O pastor evangélico Tony Alamo, outrora aclamado pregador e líder da Igreja "Ministérios Cristãos", foi condenado hoje a 175 anos de cadeia por abusar de meninas com as quais se "casava" e mantinha relações sexuais.

 

A condenação é mais pesada porque o pastor levou várias das suas "esposas" - com algumas das quais chegou a trocar anéis de casamento - para fora do Estado onde exercia o seu sacerdócio, o Arcansas -o que é um delito federal.

A sentença hoje ditada pelo juiz do Arcansas Harry Barnes é praticamente uma pena de prisão perpétua, já que o condenado tem 75 anos e terá que cumprir pelo menos 85 por cento da condenação antes de poder aceder à liberdade condicional.

 
 

comentar
publicado por evangelicosfalsosprofetas, em 16.03.10 às 07:25link do post | favorito

Um pastor evangélico foi preso em flagrante, em Rubim, Vale do Jequitinhonha, por abusar de um adolescente de quatorze anos. Segundo a PM, que recebeu a denúncia da mãe do garoto, os dois estavam nus no meio de um matagal, pra onde foram na caminhonete do religioso. O menino teria confirmado que vinha mantendo relações sexuais com o pastor há dois meses, em troca de dinheiro e presentes.


Ainda segundo a polícia, já havia outras denúncias contra o suspeito, de cinquenta e dois anos, que é casado e tem dois filhos já adultos, mas as vítimas e os pais não quiseram registrar ocorrência com medo da exposição. Ainda foi apreendida, na residência do pastor, uma arma de fogo sem registro. O pastor foi preso  e vai responder por crimes de pedofilia e posse ilegal de arma.


comentar
publicado por evangelicosfalsosprofetas, em 16.03.10 às 07:16link do post | favorito

 

O tenente Guarniere, da Rone, informou que foi preso um acusado de pedofilia identificado como Antonio Alcione. Segundo o militar, o acusado levou três meninas em um Corsa branco para o motel Plaza, na BR 343, zona Sul de Teresina

Duas garotas têm 12 anos e outra 13 anos. O tenente Guarniere informou que quando ele ia entrar no motel, foi abordado pelos policiais, já que uma das meninas correu. Antonio foi preso em flagrante e alegou que tinha acertado para sair com uma menina de 14 anos, mas ela fez questão de levar a outra.

Ele disse que é pastor evangélico e está preso na Central de Flagrantes.

comentar
publicado por evangelicosfalsosprofetas, em 16.03.10 às 07:12link do post | favorito

Homem, que chegou a gravar três CDs, viajava até o Acre e trazia drogas bolivianas para Curitiba

Um suspeito de ser um traficante internacional de drogas foi preso na noite desta terça-feira (15), em Bela Vista do Paraíso, no Norte do Paraná. Oseías Henrique da Silva, de 37 anos, morava em Pinhais, na região metropolitana, é acusado de comandar a distribuição de drogas no Bairro Alto, em Curitiba. Ele foi flagrado em um bloqueio armado por policias da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) de Londrina enquanto retornava de carro à capital paranaense.

A Operação “Brasiléia”, batizada desta forma em razão da cidade em que a carga irregular era obtida, apreendeu junto com o traficante 1,5 quilo de cocaína e 4,5 quilos de crack, suficientes para fabricar mais de 25 mil pedras da droga, segundo oficiais da Denarc.

 

Adriano Ribeiro / Oséias Henrique da Silva viajava mensalmente ao estado do Acre para buscar drogas provenientes da Bolívia 

Oséias Henrique da Silva viajava mensalmente ao estado do Acre para buscar drogas provenientes da Bolívia

 

Rota do tráfico

Durante os quatro meses de investigação, foi descoberta uma rota de tráfico que partia da Bolívia até Curitiba, entrando no Brasil a partir do estado do Acre. “Ele viajava para o Norte do país e parava na cidade de Brasiléia, onde negociava as drogas bolivianas”, explica o delegado adjunto da Denarc, Renato Figueroa. A carga era trocada por veículos financiados por laranjas.

O percurso era realizado mensalmente e a viagem durava em torno de 12 dias. Silva sempre buscava utilizar rotas alternativas para voltar ao Paraná. De acordo com a polícia, não há indícios de que a droga fosse distribuída em outras cidades. “Vamos trabalhar agora para prender as pessoas ligadas ao traficante e para desmanchar esses pontos de tráfico em Curitiba”, diz Figueroa.

Carreira artística

Silva atuava como harpista em uma igreja evangélica e possuía o título de pastor. Ele chegou a gravar três CDs e, segundo informações do Denarc, no momento em que foi preso carregava o instrumento musical no carro em que dirigia.

O traficante está preso em Londrina e deve ser transferido para Curitiba nos próximos dias.
 


comentar
publicado por evangelicosfalsosprofetas, em 16.03.10 às 07:03link do post | favorito

Estou profundamente envergonhado, absurdamente chocado com as cenas reveladas pela Operação Caixa de Pandora, onde dois deputados evangélicos aparecem orando pelo sucesso da corrupção, do crime, da extorsão e do suborno que favorecem os currais eleitorais da fé.

Claro que eu sabia que isso existia, não sou nenhum ingênuo, tampouco tenho grandes expectativas quando seres humanos desfilam na passarela do poder, seja ele político, econômico ou eclesiástico. Porém, é vergonhoso pensar que líderes denominacionais elegem homens que desfilam com a Bíblia nos corredores da Câmara Legislativa em busca de dinheiro para campanhas eleitorais feitas às custas da boa fé do povo.

O que se podia esperar dos religiosos ocos, dos cristãos nominais ou mesmo dos que não creem em nada além de si mesmos, agora, vê-se pelo noticiário a estampa da corrupção evangélica travestida de oração que convoca a sanção do Pai para os atos de patifaria política. Bem qualificou Jesus quando disse aos judeus que se declararam “filhos de Deus”, enquanto praticavam obras malignas: “Vós tendes por pai o Diabo” (João 8:44), pois suas obras eram coerentes com a paternidade diabólica.

A bancada evangélica, se iguala a matilha dos políticos corruptos que, travestidos de Robin Hood invertido, roubam do povo para engordar seus cofres pessoais, favorecer o poder apostólico apóstata, indicar irmãos bastardos aos quadros do funcionalismo público fantasma, encaminhar emendas que favoreçam entidades do faz-de-conta social e partir o pão levedado pelos interesses do poder.

Os acordos, as cartas de intenções, as trocas de favores, os consentimentos velados do clero cristão estão na agenda dos políticos desde a maldição colonizadora do regime imperial, mais recentemente, porém, vem sendo revelado o novo braço do crime organizado que goza da imunidade parlamentar – um segmento de políticos evangélicos que representam os apóstolos, bispos e pastores da oração que o diabo gosta: a oração que legitima o roubo e faz da meia, da cueca, do paletó e da Bíblia os cofres da vergonha nacional.


comentar
publicado por evangelicosfalsosprofetas, em 16.03.10 às 06:58link do post | favorito

O pastor evangélico da Igreja Assembléia de Deus, Almir Martins Figueiredo, de 47 anos, foi preso na tarde desta sexta-feira, pelo crime de receptação veículos furtado e roubado. Na área da igreja, localizada na rua Viúva Claudia, 210, Jacaré, policiais da 25ª DP (Engenho Novo), encontram uma Fiesta, placa LNB 5318, da Polícia Federal, furtado no dia 21 de maio do ano passado.


Também foi recuperada uma moto Kawasaki, LBP 5262, roubada em abril deste ano, em Bonsucesso. O pastor alegou que aluga vagas para carros no pátio da igreja e que não sabia a quem pertenceria os veículos recuperados.


De acordo com a delegada Adriana Belém, o pastor Almir está sendo autuado em flagrante por receptação e será levado para a Divisão de Captura- Polinter, onde ficará a disposição da Justiça.



 


comentar
publicado por evangelicosfalsosprofetas, em 16.03.10 às 06:55link do post | favorito

 

 Na tarde de ontem (14), a equipe do Batalhão Escolar composta pelos soldados Carlos e Alves, quando em deslocamento para a visita de colégios no Setor Bueno, deparou com um alvoroço no interior de um ônibus, onde as três passageiras do coletivo gritavam desesperadamente.

 

Submetido o veículo a abordagem, os policiais surpreenderam Valdivino Francisco do Nascimento, 49 anos, cantor religioso, se masturbando nos fundos do veículo. Encaminhado à 4ª Delegacia Distrital de Polícia de Goiânia, Valdivino foi autuado por ato obsceno pela autoridade policial competente.


comentar
publicado por evangelicosfalsosprofetas, em 16.03.10 às 06:52link do post | favorito

 

Leonardo Prudente (DEM), Júnior Brunelli (PSC), Eurides Brito (PMDB), que se dizem evangélicos aparecem nos vídeos recebendo propina.

O Partido Democratas se reúne com o governador Arruda. Quer explicações. Integrantes do partido já falam em expulsar o governador José Roberto Arruda. Tudo vai depender das explicações que ele deve apresentar hoje à tarde à cúpula do Democratas. A grande preocupação do partido é evitar uma contaminação, que a crise no Distrito Federal atinja o Democratas nacionalmente.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) acha que já existem indícios suficientes para o pedido de impeachment de José Roberto Arruda. O presidente da OAB Cesar Britto considerou as denúncias gravíssimas.

Segundo o inquérito, o mensalão seria alimentado por empresários, com recursos de contratos superfaturados. Um exemplo está no vídeo: José Celso Gontijo, dono de uma construtora, entrega dois pacotes de dinheiro ao ex-secretário de relações institucionais, Durval Barbosa: “Eu tentei vir cá algumas vezes, mas você estava cheio de problemas, né, Durval?”

Durval Barbosa responde a mais de 30 processos na Justiça. Está sob proteção policial e fez as denúncias em troca de redução de pena em caso de condenação. Há anos ele gravava os encontros. Algumas fitas foram feitas sem autorização da Justiça. Parte delas está sendo periciada e anexada ao inquérito.

Durval Barbosa disse à polícia que o coordenador do esquema era o governador do Distrito Federal. De acordo com o ex-secretário, Arruda recebia dinheiro para despesas pessoais e ainda coordenava a distribuição de parte dos recursos para assessores, secretários e políticos da base aliada. Durval contou à polícia e ao Ministério Público que o esquema teria começado ainda no governo passado, de Joaquim Roriz.

Em um vídeo, gravado em 2006, quando Arruda ainda era candidato a governador, aparece recebendo R$ 50 mil. O dinheiro era distribuído sempre a portas trancadas, aos montes: na mão de diretores de empresas públicas, assessores da secretaria de educação do Distrito Federal.

O deputado distrital Leonardo Prudente, atual presidente da Câmara Legislativa, foi flagrado na seguinte cena: em 2006, recebeu tanto dinheiro que ficou sem espaço para guardar tudo. Depois que os bolsos ficaram cheios demais, o jeito foi esconder o restante na meia.

A líder do governo na Câmara Legislativa, Eurides Brito, também aparece guardando dinheiro em uma bolsa. Outro deputado distrital, Junior Brunelli, do PSC, também está nas gravações.

Durval Barbosa também denunciou a participação do vice-governador no esquema. Paulo Octávio é dono de uma construtora e Barbosa disse que era um funcionário do vice-governador, Marcelo Carvalho, que ia buscar o dinheiro.

O governador passou o fim de semana em casa. Conversou pessoalmente e por telefone com advogados e assessores. Arruda e o vice-governador divulgaram uma nota, dizendo que Durval Barbosa apresentou uma versão mentirosa dos fatos, que estão tranquilos e confiantes no trabalho da Justiça.

Nos bastidores, Arruda reclama que vinha sendo chantageado pelo ex-secretário e, durante o depoimento, Barbosa falou em ameaça. Disse que o governador sabia dos vídeos e que ouviu de Arruda a seguinte frase: “Se um dia você resolver apresentar essas imagens da minha pessoa, você me avise com cinco dias de antecedência, que é para eu sumir ou dar um tiro na minha cabeça ou te matar”.

A cúpula do partido de Arruda e Paulo Octávio, o Democratas, se reúne hoje à tarde e já fala em expulsão. “Se erros foram cometidos, o partido não pode acolher estes erros como também erros do partido”, apontou o líder do DEM, senador José Agripino (DEM/RN).

A Ordem dos Advogados do Brasil também se manifestou: “Os sinais públicos, as provas já obtidas, são extremamente graves e diante delas já há um indicio forte de pedido de impeachment”, comentou o presidente da OAB Cezar Britto.

Por enquanto, só a Câmara Legislativa do Distrito Federal, de maioria governista, baixou o tom. A Comissão de Ética fez uma reunião de emergência no fim de semana. Não deu em nada. “Eu não posso julgar em cima de palavras, eu tenho que ter as provas”, disse o presidente da comissão, bisbo Renato Andrade (PR-DF).

Todos esperam por uma explicação. Por enquanto, só surgiu aquela dada pelo advogado de Arruda, que o dinheiro do mensalão era usado para fazer caridade. Essa versão foi confirmada por um secretário que também estaria envolvido no esquema.

“Esses recursos eram coletados em 2005 e destinados ao trabalho desenvolvido do então deputado José Roberto Arruda na entrega de cestas e panetones, conforme registro”, declarou o corregedor-geral do DF
Roberto Giffoni.

Nossa equipe, é claro, tentou conversar, ouvir as explicações de todos os citados na reportagem. O ex-governador Joaquim Roriz e os deputados distritais Leonardo Prudente e Eurides Brito disseram que não vão se manifestar.

Não foram localizados o empresário José Celso Gontijo, o presidente do instituto de previdência dos servidores do Governo do Distrito Federal, Odilon Ayres, e o deputado distrital Júnior Brunelli.

O diretor-presidente da companhia de desenvolvimento habitacional do Distrito Federal, José Luis Naves, disse que nunca recebeu propina de pessoas do governo. Mas confirmou que recebeu dinheiro de Durval Barbosa, provavelmente em 2006, para pagar fotografias para pessoas carentes tirarem carteira de identidade.

O assessor Paulo Pestana disse que recebeu dinheiro porque trabalhou durante um ano no escritório político de Durval. Segundo ele, foram R$ 10 mil para pagamento de condomínio.


comentar
publicado por evangelicosfalsosprofetas, em 16.03.10 às 06:48link do post | favorito

Viram essa notícia sobre os pastores evangélicos que foram presos por tráfico de Armas, a polícia encontrou fuzis desmontados escondidos no carro deles. Segundo os investigadores mais um pastor estaria envolvido no tráfico internacional de Armas.
A Polícia Rodoviária Federal do Mato Grosso do Sul prendeu ante-ontem à tarde (11), três pastores por tráfico internacional de armas na rodovia Br-262, no trecho que liga Corumbá a Campo Grande.


comentar
publicado por evangelicosfalsosprofetas, em 16.03.10 às 05:58link do post | favorito

 

 

"Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai o Lavrador". - (João, 15:1)

 

Jesus Cristo afirmou que "buscava a glória de Deus e não a sua própria glória". Nessa afirmação, vemos que há uma necessidade de os homens se precaverem contra o PERSONALISMO causa primária da maior parte dos descalabros ocorridos com as idéias e as instituições.

Muitos homens vêem, acima de tudo, a própria personalidade, para depois se depararem com o interesse coletivo. Fazem com que a personalidade fique em posição de destaque, mesmo quando isso tenha reflexo sobre a vontade de todos ou venha prejudicar a marcha de uma idéia ou de uma Doutrina.

Eles esquecem-se de que é imperioso, muitas vezes, haver concessões, para que uma iniciativa se concretize e venha beneficiar a coletividade.

Jesus Cristo buscou a glória de Deus. Tudo fez para enaltecer os atributos do Pai Celestial, chegando mesmo a afirmar que a Doutrina que ensinava não era dele, mas do Pai.

O verdadeiro Missionário das coisas divinas relega o personalismo para uma situação de completa nulidade. João Batista, quando viu que Jesus era o Cordeiro de Deus, exclamou, com alegria: "Agora eu devo diminuir para que Ele cresça."

Vemos aí, o desprendimento, pois João gozava de grande prestígio e era, por muitos, considerado como um grande profeta; não obstante, abdicou de todas as prerrogativas, a fim de que a figura do Cristo de Deus se destacasse.

Paulo de Tarso, também abandonou a sua carreira brilhante e o prestígio de que desfrutava no conceito dos fariseus e dos doutores da lei, para, tão-somente, servir ao Cristo, dando-lhe o máximo de seus esforços e cooperação.

Essa atitude de Paulo trouxe-lhe sofrimento de todos os matizes, conforme consta da Segunda Epístola aos Coríntios (11:16-33).

Paulo abandonou o propósito de juntar-se aos fariseus, para tornar-se realmente o "Vaso Escolhido" por Jesus, para levar as suas palavras a muitos povos da Gentilidade.

O personalismo guarda íntima relação com o orgulho e a vaidade, viciações estas condenadas nos Evangelhos.

O Mestre deu a mais efusiva prova de humildade quando, sendo o Espírito mais elevado jamais baixado à Terra e o Filho Ungido de Deus, nasceu nas mais humildes condições, tendo por pais duas criaturas simples e não tendo sequer um berço para acomodá-lo, por ocasião do seu nascimento.

Para a formação do colégio apostólico, foi buscar humildes pescadores do mar da Galiléia, pois dez dos seus Apóstolos eram pescadores, um era cobrador de impostos e o outro negociante.

Assim deve ser, pois, a ação daqueles que se predispõem a servir a uma causa ou a uma instituição.

Paulo A. Godoy


comentar
publicado por evangelicosfalsosprofetas, em 16.03.10 às 05:54link do post | favorito

 

 

"E quando Jesus soube que os fariseus tinham ouvido que ele batizava mais que João e fazia mais discípulos que João, deixou a Judéia, e foi outra vez, para a Galiléia."
(Jesus todavia, não batizava, mas somente os seus discípulos) (João, 4:1-2)

Escrevendo no capítulo 4, do seu Evangelho, a ressalva de que "Jesus não batizava, mas somente os seus discípulos", João subtraiu das teologias a possibilidade de proclamar que Jesus praticava o batismo pela água.

Jesus, dirigindo-se aos Apóstolos João e Tiago, cuja mãe lhe havia solicitado que, em seu Reino, fizesse com que os dois filhos se assentassem, um à sua direita e outro à sua esquerda, disse-lhes: "Podeis vós beber o cálice que eu hei de beber e ser batizados com o batismo com que eu sou batizado?" (Mateus, 20:22)

Isso significa que o verdadeiro batismo não é o da água, mas o batismo que um missionário ou um inovador experimenta, quando desce à Terra, a fim de trazer uma mensagem renovadora, sendo representado pelas perseguições e sofrimentos que invariavelmente o assolam, como foi o caso de Jesus Cristo, de Sócrates, de Paulo de Tarso e de muitos outros.

Isso é corroborado por Lucas (3:16), quando escreveu as seguintes palavras pronunciadas por João Batista: "Eu, na verdade, batizo-vos com água, mas eis que vem aquele que é mais poderoso do que eu, e de quem não sou digno de desatar as correias de suas sandálias; ele vos batizará com o Espírito e com fogo."

Paulo de Tarso, o grande Apóstolo dos gentios, não aceitava e combatia tanto a circuncisão praticada pelos judeus, como o batismo de água praticado por Apóstolos de Jesus, e dizia: "Eu vim para evangelizar e não para batizar."

O próprio João Batista, após ter-se encontrado com Jesus Cristo, disse, alto e bom som: "Agora é necessário que ele cresça e eu diminua", dando a entender que, dali por diante, o batismo de água, por ele praticado, deveria ceder lugar ao batismo de fogo e do Espírito, que o Mestre vinha praticar.

O que significa o batismo do fogo? É evidente que não se trata de um ritual de natureza material, pois o Mestre asseverou que tinha que se submeter a esse batismo, e isso representava a glorificação e a consolidação da Doutrina que viera revelar à Humanidade.

O batismo do fogo foi, no caso de Jesus, a sua crucificação, após ter tragado o cálice de amargura; no entanto, chegara a pedir ao Pai Celestial, em fervorosa prece no Horto das Oliveiras, que, se fosse possível, afastasse dele aquele cálice. (Mateus, 26:39)

No caso dos seres humanos, em geral, o batismo de fogo é representado pelas provações e expiações que ocorrem no decurso da vida terrena, e às quais todos são submetidos, tendo que suportá-las com resignação, pois, do triunfo sobre essas provas, resulta a elevação do Espírito na imensa escala que faz com que, no decorrer dos séculos e dos milênios, se aproxime mais do seu Criador.

Os Evangelhos e o livro dos "Atos dos Apóstolos" nos dão conta de muitos outros personagens que experimentaram o batismo de fogo: Maria Madalena, quando deixou uma vida de desregramento, para se tornar a mais dedicada seguidora de Jesus, ao longo de sua missão.

Paulo de Tarso no seu batismo de fogo, em sua Segunda Epístola aos Coríntios (11:23-27), através dos trabalhos, das prisões, dos açoites sem medida pelos romanos, dos açoites pelos judeus, de apedrejamento, perigo de salteadores, de naufrágios, de uma noite e um dia nos abismos, do mar, dos perigos entre os gentios e entre os judeus, perigos nas cidades, no deserto e en tre falsos irmãos, através da fome, sede, frio, nudez além de sua decapitação em Roma.

Tiago Maior sofreu as agruras das prisões e da morte à espada. (Atos, 12:2) João Batista também sofreu a amargura da prisão e da decapitação.

A mulher que padecia um fluxo de sangue havia 12 anos. (Marcos, 5:25-28) Os dez leprosos curados por Jesus. (Lucas, 17:11-18) O paralítico de Betsaida. (João, 5:5-7) O cego de nascença. (João, 9:1-3) E muitos outros.

Jesus disse em Marcos (8:34). "Se alguém quiser me seguir, negue-se a si mesmo e tome a sua cruz, e siga-me." Seguir o Cristo representa que os homens devem praticar os seus ensinamentos e suportar as provações com resignação, procurando vencer as provas a que são submetidos pela Justiça Divina e pelo triunfo sobre as expiações que ocorrem como consequência dos fracassos nas provas. "Cada um deve levar a sua cruz", isso representa o batismo de fogo.

"Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para as vossas almas, porque o meu jugo é suave, e o meu fardo, leve." (Mateus, 11:29-30). Quem suportar esse jugo e transportar esse fardo terá passado pelo batismo de fogo.

Paulo A. Godoy


mais sobre mim
Março 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9

15
17
18
19
20

22

29
30
31


pesquisar
 
blogs SAPO
subscrever feeds